NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 08 de Julho de 2020
ARTIGOS
Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2019, 17h:02

* RENATO DE PAIVA PEREIRA

Onda de otimismo

Credite-se ao presidente eleito o fiel cumprimento de suas promessas de campanha. Ele conseguiu formar o primeiro escalão sem a interferência dos partidos políticos, coisa nunca antes vista neste país. Faltou, entretanto, prudência na busca de boas qualidades de alguns dos escolhidos. É possível notar três destaques na equipe selecionada: os militares, os carolas e os intocáveis. Os primeiros, representados principalmente por generais da reserva, têm nível intelectual elevado e vasta experiência. Eles dão um toque de serena austeridade ao governo. O segundo grupo parece-me complicado por trazer a religião para o ambiente político, que tem a obrigação de ser laico. O terceiro é um extraordinário trunfo, mas que pode transformar-se em problema. Este grupo liderado por Sérgio Moro e Paulo Guedes é, até agora, responsável pela boa figura que o governo tem feito e pela expectativa de rápidas mudanças em duas áreas supersensíveis da sociedade, a economia e a segurança. Mas aqui aparece um problema, aliás, dois: o ministro da economia, que é conhecido em seu meio como pessoa de trato difícil, se contrariado poderia pegar o boné e deixar o presidente no desamparo à procura de outro “sabe-tudo”. O ministro Sergio Moro, por seu turno, tem tanto apoio popular que não pode ser demitido. Eu diria que o Chefe da Casa Civil, Onix Lorenzoni, terá vida curta no governo, uma vez que já se desentendeu com o Paulo Guedes e também porque começam a aparecer denúncias de possível envolvimento dele com recebimento irregular de verbas parlamentares. Também a turma evangélica, principalmente a Pastora Damares provavelmente não durará muito. Ela ainda não conseguiu separar a função política do púlpito da igreja. Em entrevista antiga, mostrada esta semana, a Ministra condena o ensino da Teoria da Evolução nas escolas, em completa dissintonia com o mundo desenvolvido, onde todos os alunos conhecem as ideias de Darwin. Entre os carolas está ainda o Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que atribui ao globalismo a intenção de romper a conexão entre Deus e o homem. Sobre o aborto ele afirma que a esquerda não quer que nasçam crianças, muito menos o menino Jesus. Diz ainda que haveria uma pretensão niilista de, em cada criança, matar o Cristo antes de nascer. Parece mais a opinião de um católico papa hóstia ou de um evangélico fanático pego laço na periferia. Pelo lado bom, percebe-se uma aproximação do governo com a imprensa, ainda que meio de má vontade. O presidente diz que a mídia é bem-vinda, desde que seja isenta, Ocorre que ela não é nem pretende ser isenta. Seu trabalho é questionar, denunciar, combater, cobrar, opinar e manter-se orgulhosamente avessa às adesões partidárias e à distribuição gratuita de elogios. Uma coisa o Presidente Bolsonaro já fez, e não é pouco: espalhou uma onda de otimismo e entusiasmo na população brasileira como não se via há muitos anos. Pesquisas mostram que dois terços dos brasileiros acreditam que o país vai melhorar muito sob Bolsonaro. Sabendo que expectativas são um eficiente combustível do progresso, seria uma lástima perder essa raríssima oportunidade. * RENATO DE PAIVA PEREIRA – empresário e escritor renato@hotelgranodara.com.br

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL