NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 01 de Junho de 2020
ARTIGOS
Quarta-feira, 08 de Abril de 2020, 10h:01

ONOFRE RIBEIRO

Vírus educativo

Logo o vírus passa. Mas deixará pessoas se enxergando diferente

Na minha concepção, do ponto de vista médico, o corona vírus já está por demais conhecido. Mas do ponto de vista dos comportamentos das pessoas, ele está começando a mostrar as suas consequências.           

Vamos lá. Aos poucos a economia foi atingida pelo fechamento de shopping centers, de fábricas, de comércio, de portos, aeroportos, prejuízos aos transportes públicos e a medida extrema: confinar pessoas em isolamento social. Junto vieram o desemprego e insegurança social. Do seu lado, empresas fortes se viram descapitalizadas. 

Noutra ponta, o governo teve que tomar medidas sanitárias, políticas e econômicas, mas perdeu muito a arrecadação dos impostos. É outro com grandes problemas daqui pra frente.           

Mas quero ater-me às pessoas. De repente uma família tem a sua rotina completamente transformada. De um sistema de individualidades casualmente unida pela rara presença, se vê suportando uns aos outros confinados. Mães e pais que não conheciam os filhos terceirizados pra creches ou escolas e as atividade extracurriculares.

Na minha concepção, do ponto de vista médico, o corona vírus já está por demais conhecido. Mas do ponto de vista dos comportamentos das pessoas, ele está começando a mostrar as suas consequências

De repente precisaram conviver com esses seres estranhos chamados de filhos e eles com esses ultrapassados pais. Juntos, com frequência avós ainda mais complicados do que os pais. Se no dia a dia eles são ignorados, agora não tem como. É preciso conviver. Mas como conviver com gente velha, antiga e burra?

Acordar pela manhã, escovar os dentes, olhar no espelho e enxergar essa pessoa estranha que quase nunca é vista por ela mesma. Uma ruga aqui, outra ali, um fio de cabelo branco, uma marca na pele...meu Deus! Como isso aconteceu e eu não vi?

É preciso pintar o cabelo, mas o salão está fechado. De repente não se pinta o cabelo e se descobre uma pessoa muito diferente daquela da rotina anterior!           

Ou, o marido e a mulher descobrirem habilidades ou temas comuns há muito esquecidos, jogados á margem da vida pelos sucessivos conflitos que lhe rege a vida até agora...           

Por iss,o o vírus mistura a sua questão sanitária com uma poderosíssima questão comportamental e começa a reeducar as pessoas para elas mesmas e para as suas famílias...           

Logo o vírus passa. Mas deixará pessoas se enxergando diferente. E se assim acontecer, elas serão capazes de fazer grandes mudanças nessa sociedade consumista e individualista. Terá sido preciso uma doença importada do outro lado da Terra pra nos ensinar aqui como viver como humanos...! 

ONOFRE RIBEIRO é jornalista em Mato Grosso.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.





ENQUETE
Você acha que a Prefeitura acertou ao liberar a reabertura de shopings, bares e restaurantes?
É uma decisão acertada
O prefeito foi pressionado por empresários
Quem vai dizer são os consumidores
Tanto faz
PARCIAL