NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2021
BRASIL
Terça-feira, 05 de Janeiro de 2016, 20h:23

VENEZUELA/ASSEMBLÉIA

Brasil pede respeito a empossados

O Ministério das Relações Exteriores divulgou nota ontem na qual defendeu que a Venezuela respeite as prerrogativas da nova Assembleia Nacional e preserve a “vontade soberana do povo venezuelano, expressada de forma livre e democráticas nas urnas”. A nova assembleia é de maioria oposicionista e sofreu uma perda de poderes nesta terça, quando o presidente Nicolás Maduro tirou do parlamento a prerrogativa de nomear diretores para o Banco Central do país. No texto divulgado pelo Itamaraty, o governo brasileiro diz que não há espaço para "políticas fora da institucionalidade" na América do Sul do século XXI. “O governo brasileiro confia que será plenamente respeitada a vontade soberana do povo venezuelano, expressada de forma livre e democrática nas urnas. Confia, igualmente, que serão preservadas e respeitadas as atribuições e prerrogativas constitucionais da nova Assembleia Nacional venezuelana e de seus membros, eleitos naquele pleito”, diz a nota do Itamaraty. “Não há lugar, na América do Sul do século XXI, para soluções políticas fora da institucionalidade e do mais absoluto respeito à democracia e ao Estado de Direito”, acrescenta o Ministério das Relações Exteriores. TENSÃO Caracas teve um clima de tensão por causa da posse da nova Assembleia. A polícia foi acionada para garantir a segurança nas proximidades do prédio onde os parlamentares assumirão o cargo. Além da perda de direito de nomear diretores para o Banco Central, outro fato criticado pelos oposicionistas venezuelanos foi a decisão da Justiça do país, no final de dezembro, de suspender a eleição de três deputados que fazem oposição ao atual regime. Em outro trecho da nota, o governo brasileiro diz acompanhar “com atenção e interesse” os desdobramentos das eleições do ano passado na Venezuela, que definiram a nova Assembleia Nacional. Segundo o Itamaraty, é preciso que os atores políticos venezuelanos “aprimorem” o diálogo e a "boa convivência". No documento, o governo ressalta ainda que o resultado das urnas foi acompanhado pela Missão Eleitoral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), com apoio e participação do Brasil. “Seus resultados oficiais foram divulgados e validados pelo Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela e prontamente reconhecidos, na ocasião, por todas as forças políticas do país”, acrescenta o ministério.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Qual deve ser a prioridade do 2º mandato do prefeito Emanuel Pinheiro?
Melhorar o transporte coletivo
Tornar a Saúde Pública acessível a todos
Ampliar a Assistência Social
Educação para todos
PARCIAL