NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 02 de Dezembro de 2020
BRASIL
Segunda-feira, 03 de Outubro de 2016, 19h:51

PROMESSA

Doria diz que não aumentará impostos

PEDRO VENCESLAU
Da Agência Estado - São Paulo
Um dia após ser eleito prefeito de São Paulo no primeiro turno, João Doria prometeu, ontem, que não aumentará impostos e vai manter congelada a tarifa de ônibus em 2017, mas não se comprometeu com a manutenção depois disso. "Não vamos mexer na tarifa no primeiro ano. Não haverá mudança nas taxas e impostos." Questionado sobre os anos seguintes do mandato, ele disse que "provavelmente" também não haverá aumento, mas deixou no ar a questão. "Cada dia, sua agonia." O tucano recebeu jornalistas na sede de seu comitê de campanha, na Avenida Europa, e falou sobre o cronograma da transição e as primeiras medidas que serão tomadas por seu governo. O coordenador político de sua campanha, Júlio Semeghini, será o responsável por abrir o diálogo com a administração de Fernando Haddad. O prefeito eleito diz que não vai impor uma pauta a Haddad. "Tenho confiança que ele abrirá as informações." O grupo de Doria fará a primeira reunião sobre o tema na tarde de hoje e, à noite, ele se encontrará com o governador Geraldo Alckmin e o vice Márcio França no Palácio dos Bandeirantes. Segundo o prefeito eleito, toda a estrutura de governo estará definida até o dia 30 de novembro. O espaço para a escolha dos nomes será o Centro de Estudos André Franco Montoro, local onde durante a campanha foi elaborado o plano de governo do então candidato. A ideia de Doria é que, uma vez escolhido o secretariado, o grupo tenha um mês de convívio com representantes da atual gestão. O tucano já anunciou que vai cortar pelo menos sete das 27 secretarias que existem atualmente, mas não informou quais serão extintas. Durante a campanha, Doria chegou a dizer que cortaria a Secretaria de Pessoas com Deficiência e de Igualdade Racial, mas depois voltou atrás em relação à primeira. Ele voltou a dizer que não será candidato à reeleição e pretende ficar os quatro anos no cargo. O tucano também prometeu que não fará cortes na área da Saúde e disse que uma das primeiras medidas de sua gestão será implantar os Corujões da Saúde, nos quais 40 hospitais privados atenderão pacientes do sistema público entre as 20 e 8 horas. Doria garantiu que haverá transporte público pra que as pessoas possam chegar aos locais. Segundo ele, o custo do programa, que foi elaborado por uma equipe de especialistas coordenada pelo médico Milton Flávio, ex-presidente municipal do PSDB, será de R$ 100 milhões em 12 meses. Apesar de dizer que não haverá loteamento de cargos no seu governo, Doria admitiu que aceitará "sugestões e indicações" de vereadores e lideranças políticas.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você acha que o Cuiabá Esporte Clube tem chance de acesso à Série A do Brasileirão?
Sim
Não
Ainda falta estrutura
Precisa investir no elenco
PARCIAL