NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
BRASIL
Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2021, 08h:00

CORONAVÍRUS

Saúde prometeu 300 milhões de vacinas, mas conseguiu apenas 2 milhões, diz Doria

Pedro Caramuru
Estadão Conteúdo
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a cobrar nesta quarta-feira (27) que o governo federal faça a aquisição de outros imunizantes contra a covid-19 para reforçar o Programa Nacional de Imunização contra o novo coronavírus. "Nós precisamos de mais vacinas. O Ministério da Saúde prometeu aos brasileiros 300 milhões de vacinas. Até agora conseguiu 2 milhões da AstraZeneca. As demais vacinas, que são do Butantan, só foram viabilizadas porque o governo do Estado de São Paulo tomou providências, pagou por isso, firmou convênio e defendeu a vacina", disse Doria durante entrevista à rádio BandNews nesta manhã.

Segundo afirmou, ontem, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o instituto aguarda do Ministério da Saúde posicionamento sobre a aquisição de 54 milhões de doses adicionais às 46 milhões já contratadas pela pasta.

"O que posso garantir é que se houver uma circunstância de desprezo, de afastamento do governo federal em relação a São Paulo, aqui, nenhum brasileiro de São Paulo vai ficar sem vacina", disse o governador. "Vamos entrar na Justiça e acionar o governo federal se houver esta circunstância. Espero que não haja", emendou Doria.

Vacinação

De acordo com o governador, a expectativa é de, até o próximo dia 6 de fevereiro, vacinar 22 mil idosos institucionalizados em lares e, na sequência iniciar, ainda em fevereiro, a vacinação do restante da população idosa com mais de 70 anos.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Qual o melhor modal de transporte público para Cuiabá e VG?
Prefiro o VLT
O BRT é melhor
Nenhum dos dois
Deveriam melhorar o atual sistema de ônibus
PARCIAL