NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 14 de Julho de 2020
CIDADES
Quinta-feira, 24 de Novembro de 2016, 20h:28

UFMT

Alunos são contra greves e ocupações

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
Em assembleia geral, os acadêmicos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) deliberaram pela não deflagração da greve geral no campus, em Cuiabá. De acordo com o Diretório Central dos Estudantes (DCE) foram computados 527 votos a favor e 733 contrários. Porém, conforme informações de movimentos estudantis, alunos de aproximadamente 20 blocos decidiram, em assembleias locais, pela ocupação dos prédios. A estimativa é que mais de 1.500 discentes participaram da reunião, que tinha como motivação central de discussão a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que congela as despesas do Governo Federal, com cifras corrigidas pela inflação, por até 20 anos. Estudante do curso de Serviço Social e militante da União Juventude Comunista (UJC), Adria Lourena Silva diz que a decisão tomada pela maioria foi sob o argumento de que o local ideal proposto e que deveria ocupado é Brasília. “A justificativa foi de que querem estudar. Mas, a gente faz o contraponto de que nenhuma conquista até hoje foi colocada sem greve e paralisação dos setores”, pontuou. Conforme Adria Silva, entre os blocos que já estão ou vão entrar em greve estão os Institutos de Linguagens (IL), de Educação (IE), de Ciências Humanas e Sociais (ICHS), de Geografia, História e Documentação (IGHD) e Saúde Coletiva. “Os estudantes têm legitimidade para deflagrarem greves em seus blocos”, afirmou. Os estudantes também decidiram pela participação no ato público, nesta sexta-feira, na Avenida Fernando Correa, contra a PEC 241. Com as contas no vermelho, o presidente Michel Temer vê na medida, considerada umas das maiores mudanças fiscais em décadas, uma saída para sinalizar a contenção do rombo nas contas públicas e tentar superar a crise econômica. O mecanismo enfrenta severas críticas da oposição, liderada pelo PT, pelo PSOL e pelo PCdoB, mas também vindas de parte dos especialistas, que veem na fórmula um freio no investimento em saúde e educação previstos na Constituição Federal. O texto também tem pode afetar a regra de reajuste do salário mínimo.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você acha da decisão da CPI do Paletó de pedir o afastamento do prefeito?
Ele tem que ser afastado
Ele tem que ser cassado
Ele é inocente
Tanto faz
PARCIAL