NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 28 de Fevereiro de 2021
CIDADES
Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2021, 08h:58

PATRIMÔNIO ABANDONADO

Casarão tombado corre risco de desabar no Centro Histórico

Em razão do risco que oferece às pessoas, um trecho da Rua Campo Grande foi interditado

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Localizado na Rua Campo Grande, no Centro de Histórico de Cuiabá, UM casarão construído no século XVIII corre o risco de desabar.

Diante do perigo iminente, um trecho da via foi interditado no último dia 23, pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).

A medida foi tomada após análise superficial da Defesa Civil.

Na terça-feira (26), a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer informou que pediu orientações ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) sobre adoção de providências quanto a instabilidade do casarão tombado.

“A preservação do Centro Histórico é uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro. Vamos enviar equipe para realizar o escoramento do local e garantir a segurança de quem precisa passar próximo ao local”, disse o secretário-interino de Cultura, Luis Cláudio Sodré.

O secretário disse que a ação deve ocorrer mediante a orientação do Iphan.

Conforme a administração municipal, o casarão é um imóvel privado e, por ser tombado, toda e qualquer intervenção deve ser autorizada pelo Iphan.

“A Prefeitura trabalha para melhorar a trafegabilidade do local e garantir a segurança da população, enquanto a situação é solucionada”, disse o secretário.

De acordo com informações, o imóvel abrigou a Associação Literária Cuiabana, 1884.

Também foi sede da Diretoria de Higiene, que atualmente é aSecretaria de Saúde, e, entre 1920 e 1950, abrigou a Empresa de Correios e Telégrafos de Marechal Rondon.

Depois,, o casarão foi adquirido por Vasco Roiz Palma e pertence à família até hoje.

ABANDONO - No início de 2019, um levantamento feito pelo Ministério Público de Mato Grosso (MP-MT) apontou o abandono de 98 casarões localizados no conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico da Capital mato-grossense.

Desse montante, 43 já apresentam risco de desabamento e os outros 55 ainda precisavam passar por vistoria. Na ocasião, os dados foram repassados ao Iphan.

Ao todo, o Centro Histórico conta com aproximadamente 400 imóveis tombados em conjunto (Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico), sendo apenas um deles tombado também isoladamente.

Neste último caso, trata-se da Igreja do Rosário e São Benedito (tombado em 1975).

Esses bens estão situados em uma área tombada, que compreende, basicamente as ruas Pedro Celestino (antiga Rua de Cima), Ricardo Franco (do Meio) e a Galdino Pimentel/7 de Setembro (de Baixo) e imediações das ruas 27 de dezembro e Cândido Mariano e Avenida Mato Grosso, entre outros.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Qual o melhor modal de transporte público para Cuiabá e VG?
Prefiro o VLT
O BRT é melhor
Nenhum dos dois
Deveriam melhorar o atual sistema de ônibus
PARCIAL