NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 09 de Agosto de 2020
CIDADES
Quinta-feira, 23 de Junho de 2016, 20h:20

Cinco pessoas morreram neste ano vítimas do H1N1 em MT

Em Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT) já contabiliza, neste ano, ao menos 402 notificações da chamada síndrome respiratória aguda grave (SRGA), que está associada ao vírus da gripe H1N1. Do total, 13 obtiveram resultados positivos para Influenza H1N1. Outros 15 foram descartados e 387 continuam em investigação. Cinco pessoas morreram. Ainda, conforme a SES, três casos da doença, registrados em Sinop, Várzea Grande e Rondonópolis, evoluíram para cura. As mortes ocorreram municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Água Boa, Juara, e Paranaíta. Entre os municípios com mais notificações de casos de SRAG destacam-se Cuiabá, Rondonópolis, Várzea Grande e Sinop, com 117, 53, 38 e 26 casos, respectivamente. Os demais casos estão distribuídos em 46 municípios mato-grossenses, entre eles Alta Floresta, Cáceres, Campo Novo do Parecis e Primavera do Leste. Já em Cuiabá, é o início deste mês, eram 104 casos suspeitos da SRAG, em residentes no município e 39 em moradores de outras cidades. Dois casos foram confirmados e oito descartados. Ainda era aguardo o resultado laboratorial de 83 casos notificados ao órgão. Dados divulgados pelo Ministério da Saúde demonstram que a vacinação pode reduzir de 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da Influenza. A vacinação é uma importante prevenção à gripe, mas não dispensa medidas básicas de proteção. (JD)

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL