NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 04 de Julho de 2020
CIDADES
Terça-feira, 22 de Janeiro de 2019, 17h:25

PROJETO LUNAAR

Civil disponibiliza postos de coleta de frascos de aerossol

Para ajudar o projeto “Lunaar – Luta e União dos Amigos para Animais em Risco”, a Polícia Civil (PC) disponibilizou pontos de coleta para arrecadação de frascos vazios de desodorante aerossol, material que pode ser vendido para empresas de sucata que transformam os frascos em alumínio. O investigador Adriano Real, que faz parte do projeto, é o responsável pela implantação das coletas na sede da Diretoria Geral da Polícia Civil, onde trabalha. Os recipientes de coleta no prédio servem para atender tanto o público interno quanto externo que tiver interesse em ajudar o projeto. “Quando fiquei sabendo que o projeto Lunaar estava precisando de ajuda, tive a ideia de arrecadar os frascos na instituição, pois era uma forma de conseguir dinheiro para o grupo, visto que também gosto de animais”, contou. “Eles pagam 4,50 reais por um quilo de alumínio, o que dá aproximadamente 100 frascos de desodorante aerosol”, acrescentou. As arrecadações tiveram início em dezembro de 2017, dois meses após a criação do Projeto e até agora já foram coletados cerca de R$ 2 mil. Com o dinheiro, o “Lunaar” efetuou a castração de 30 gatos que foram encaminhados para adoção, pagamento de dívida com o médico veterinário que cuida dos animais e compra de ração. Hoje, existem aproximadamente 70 pontos de coleta distribuídos em Cuiabá, Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Barra do Bugres, São José dos Quatro Marcos e Lucas do Rio Verde. Os pontos estão instalados em academias, colégios, clínicas, na Assembleia Legislativa, entre outros locais, como órgãos públicos, empresas e pet-shop. Cada local possui o compromisso de recolher o material e destiná-lo ao projeto Lunaar, que nasceu em outubro de 2017 quando Tainá Marques, acadêmica de Nutrição da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), reuniu amigos, familiares e estudantes com intuído de amparar animais que vivem nas ruas. Com pouco mais de 40 integrantes, o projeto sobrevive de doações de seus participantes e o valor arrecadado é destinado à compra de ração para alimentar os animais. Mensalmente 150 quilos de ração são distribuídos para atender aproximadamente 800 gatos. Os animais são encaminhados às clínicas veterinárias para exames, internações, cirurgias e castrações, atividades que geram custos ao projeto que sobrevive sem nenhum apoio governamental.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL