NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
CIDADES
Terça-feira, 14 de Julho de 2015, 20h:51

CASO JUCILENE

CRO vai investigar morte de gerente

O Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT) vai investigar o procedimento de extração de dente que acabou em morte

YURI RAMIRES
Da Reportagem
O Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT) vai investigar o procedimento de extração de dente de uma mulher de 31 anos, que veio a falecer dias depois devido a uma infecção generalizada. A sindicância vai apurar todo o procedimento e ouvir a equipe que atendeu a vítima. De acordo com presidente da Comissão de Ética do CRO, Sandro Stefanini, a abertura da sindicância se fez necessária após uma denúncia da família da gerente de loja Jucilene de França, de 31 anos, junto ao Conselho. “Agora, vamos dar início ao procedimento, ouvindo as partes e buscando saber como aconteceu o atendimento, bem como os procedimentos adotados pelos profissionais”, explicou ao Diário. Antes, a Comissão vai tentar fazer uma reunião de conciliação para ver se as duas partes entram em um acordo, caso contrário, o processo ético continuará em andamento. Sandro explicou que o processo de investigação da sindicância é longo, podendo haver ou não a condenação da equipe de dentistas ou da clinica. “Se condenados, podem fechar o estabelecimento ou os profissionais perdem o registro junto ao Conselho Federal”. O CRO afirmou em outra oportunidade que há, sim, riscos de infecção mesmo se os procedimentos sejam feitos dentro das normas, logo, apenas uma investigação mais aprofundada poderá revelar se houve ou não negligência dos dentistas. No dia 04 de julho, Jucilene de França extraiu o siso no Centro Odontológico do Povo, uma clínica particular em Várzea Grande. No entanto, no dia 08, ela deu entrada em uma unidade de saúde, onde acabou falecendo. A equipe médica da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá atestou o óbito decorrente de um choque séptico, Angina de Ludwig, o mesmo que uma doença infecciosa. O Centro divulgou uma nota informando todos os procedimentos pelos quais a paciente passou e também afirmou que tudo teria acontecido dentro da normalidade. O Centro disse ainda que orientou a paciente sobre as condutas após a cirurgia. A clínica se colocou à disposição para dar assistência à família da paciente, que deixou dois filhos, um de 15 e outro de seis anos. Além da denúncia no CRO, a família também acionou a Vigilância Sanitária da cidade para fiscalizar a clínica onde Jucilene foi atendida. O caso foi parar também da Policia Civil, que está investigando a morte. O procedimento está em andamento e o Diário não conseguiu contato com o delegado responsável pelo caso. A sindicância do conselho vai apurar também se já existem outras denúncias e irregularidades contra a clínica onde Jucilene foi atendida, bem como em relação aos profissionais que lá trabalham.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL