NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 03 de Julho de 2020
CIDADES
Sexta-feira, 26 de Junho de 2020, 00h:00

TRATAMENTO

Cuiabá distribuirá gratuitamente “kit Covid-19”

O prefeito Emanuel Pinheiro anunciou, ontem (25), que a rede de saúde de Cuiabá vai distribuir gratuitamente o chamado e polêmico “kit Covid-19” à população cuiabana. A medida está prevista no decreto 7.970/2020, assinado e que estabelece o fechamento do comércio em geral na capital mato-grossense.

Em seu artigo 11, o documento prevê a “distribuição gratuita à população do município de Cuiabá, pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e cuja normatização será realizada via ato normativo próprio daquela pasta. O kit será composto por três medicamentos, sendo eles, a azitromicina, ivermectina e um antialérgico. A disponibilização dos medicamentos será realizada mediante prescrição médica, com consentimento expresso e escrito do paciente.

“É uma medida que discutiu muito no Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, dividiu muito as opiniões, inclusive, dos médicos e demais profissionais da saúde, mas é vimos que no Pará estava dando certo, no Amazonas e no Amapá estava dando certo. Conversei com autoridades desses estados, com junta médica do Amapá, especialmente, da capital Macapá e coloquei os nossos profissionais da saúde para debater com eles as vantagens e desvantagens. Gente se está salvando, se estão utilizando nos hospitais privados para salva vida, se estão utilizando para as grandes autoridades, para os mais abastados financeiramente, se tem que ter prescrição médica, se não vai ter efeito colateral, porque não utilizar no começo dos primeiros sintomas para salvar vidas da população cuiabana, dos mais humildes e de que não tem condições de pagar hospitais privados?”, questionou.

Segundo o prefeito, já está sendo providenciada a aquisição dos remédios que fazem parte do pacote de medicamentos para tratamento da doença em casos de sintomas leves e precocemente. O kit covid-19 tem sido uma polêmica entre autoridades públicas. Assim como a cloroquina, o problema está na falta de consenso entre médicos sobre a eficácia medicação. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL