NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 08 de Agosto de 2020
CIDADES
Sábado, 01 de Agosto de 2020, 17h:11

INFRAESTRUTURA

Cuiabá: Prefeito lança obra de retomada do Contorno Leste

A obra vai beneficiar mais de 200 mil pessoas. Prazo de entrega é de 24 meses, com investimento de R$ 125 milhões

Da Redação
Sicom/Prefeitura
O prazo de entrega da obra é de 24 meses, com investimento de R$125 milhões

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) lançou, na manhã deste sábado (1°), a  obra da Avenida Contorno Leste e percorreu os 17,3 km de sua extensão, com paradas em quatro pontos estratégicos até a ligação com a Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251).

Segundo ele, a obra vai beneficiar mais de 200 mil pessoas diretamente, interligando todas as regiões de Cuiabá.

O prazo de entrega é de 24 meses, com investimento de R$125 milhões.

“Era a última região que faltava ser conectada ao desenvolvimento da nossa cidade. Esta obra vai beneficiar diretamente mais de 200 mil pessoas, um terço da população cuiabana, formada em quase sua totalidade por famílias de baixa renda, gente humilde, honrada e trabalhadora, que não conhece ainda a integração e o desenvolvimento em sua região, mais de 50 bairros diretamente beneficiados e dezenas de outros bairros indiretamente beneficiados”, disse o prefeito.

“Hoje é um dia muito significativo para mim. Meu pai, o ex-deputado federal Emanuel Pinheiro da Silva Primo, estaria completando, hoje, 90 anos de idade, e eu fico muito feliz de Deus ter me reservado esse destino, de poder estar aqui hoje, de ser o prefeito da terra em que eu nasci, no momento em que nossa capital completa 300 anos, de poder concretizar ações e projetos tão importantes como esse, que vai impactar diretamente no desenvolvimento da cidade e na qualidade de vida da população, principalmente os mais humildes, os mais carentes”, disse Pinheiro.

A Avenida Contorno Leste contará, ao longo de sua extensão, com todos os componentes de uma grande estrutura de mobilidade urbana.

Conforme o projeto, a via terá 17,3 quilômetros de pista dupla, cada uma delas constituídas por duas faixas de rolamento, de 3,60 metros, e acostamento.

Pinheiro ainda fez questão de ressaltar a grandiosidade da obra comparando sua extensão com outras avenidas da capital.

“Para vocês terem uma ideia, a Avenida Beira-Rio, que foi a primeira obra estruturante de Cuiabá, tem 11km. A Avenida Miguel Sutil, outra importante obra e que foi a segunda estruturante da nossa capital, tem 14km. A Avenida das Torres, que é a terceira obra estruturante, tem 13km. Esta obra, a maior obra estruturante da nossa linda e eterna cidade verde, tem 17km e 300 metros”, afirmou.

Também constam no projeto ciclovia em todo o seu prolongamento, calçada e canteiro central. Além disso, em pontos estratégicos, serão construídas ao menos 13 rotatórias e duas pontes sobre o Rio Coxipó.

Na construção, será investido R$ 125 milhões, de uma operação de crédito formalizada com a Caixa Econômica Federal (CEF). 

A obra será composta pelas etapas de terraplanagem, drenagem, pavimentação, sinalização e obras complementares. Na fase de terraplanagem estão previstos os serviços de escavação e compactação do solo.

Para a parte de drenagem será construído todo o sistema de escoamento de águas pluviais como bueiros, dreno, meio-fio e sarjeta.

A partir disso, entra na reta final com a construção da pavimentação, na qual serão feitos os trabalhos de subleito, sub-base e base, e a cobertura da via com a massa asfáltica. Na sequência, será executada a sinalização viária horizontal e vertical.

Por fim, a avenida será concluída com a instalação da iluminação e plantio de grama no canteiro central.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL