NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
CIDADES
Sexta-feira, 03 de Julho de 2020, 15h:30

SITUAÇÃO CRÍTICA

Em Mato Grosso, a taxa de ocupação de UTI chega a 94,2%

Com Goiás, Estado caminha para se tornar o epicentro da pandemia no pais, diz estudo

Da Redação
Divulgação
A taxa de ocupação está em 80,37% para UTIs adulto e em 36,31% para enfermarias adulto

No último boletim epidemiológico divulgado na quinta-feira (2), a Secretaria de Estado de Saúde informou que a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Itensiva (UTI) por pacientes com Covid-19 está em 94,2%.

Em relação a enfermarias, a taxa de internação é de 43,9%.

Dos 18.356 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 10.002 estão em isolamento domiciliar e 6.985 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 226 internações em UTI e 299 em enfermaria.

Um levantamento do jornal Folha de S. Paulo aponta que a pandemia do novo coronavírus, que começou pelo Sudeste, passou pelo Norte e Nordeste do Brasil, agora se fixa no Sul e Centro-Oeste do país.

Monitoramento da Universidade Federal do Paraná (UFPR) mostra que a taxa de transmissibilidade da doença está em ascensão nas duas regiões há cerca de três semanas.

O número indica o esperado de transmissões que devem ocorrer a partir de um infectado.

Quando está abaixo de 1, aponta uma queda progressiva da incidência. É o que ocorre no Sudeste, com taxa de 0,93, na terça (30), considerando o número de mortos pela doença –dado menos volátil, de acordo com os pesquisadores.

No Sul, esse índice chegou a 1,24, seguido do Centro-Oeste, com 1,2. No Brasil, a taxa acumulada é de 0.96.

Os estados das duas regiões continuam na parte baixa da tabela de casos e mortes por Covid-19 na comparação com o restante do país. Mas os dados apontam para um crescimento nos próximos dias.

Na região Centro-Oeste, os maiores índices de transmissibilidade são registrados em Mato Grosso e Goiás (ambos com 1,2).

Em Mato Grosso, a situação é considerada crítica no quadro de UTIs públicas.

Nas 13 unidades de oito cidades do Estado que atendem pacientes da Covid-19, há pelo menos 75% dos leitos ocupados e, em oito, a taxa está acima de 80%.

Seis delas ficam no interior do estado. Cinco estavam lotadas na última segunda (29).

A unidade com mais leitos no interior fica no Hospital Regional de Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá), sob gestão estadual, onde todas as 20 vagas estavam ocupadas. Na cidade, já são 21 óbitos.

O cenário chegou ao ponto de, em Cáceres (225 km a Oeste de Capital), faixas com frases como "Não temos UTI's - Pelo amor de Deus fique em casa" terem sido espalhadas.

Os cinco leitos de UTI no Hospital São Luiz estavam ocupados nesta quarta (1º).

Com informações da agência Folhapress


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL