NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 05 de Dezembro de 2020
CIDADES
Quarta-feira, 17 de Junho de 2020, 00h:00

PANDEMIA

Em MT, quem invadir hospital será preso

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

O secretário de Estado de Saúde de Mato Grosso (Ses-MT), Gilberto Figueiredo, considerou reprovável a sugestão feita pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), para que as pessoas entre em alas hospitalares destinadas a pacientes da Covid-19 para filmar as instalações e averiguar se os leitos estão, de fato, ocupados. Além disso, afirmou que tal ato pode levar à prisão.

“Estimular o cidadão a invadir hospitais é altamente reprovável. Não concordo nem num momento que não tenha pandemia quanto mais nesse momento com uma infecção altamente contagiosa estimulando pessoas a entrar nos hospitais. Isso não vai acorrer nos hospitais de gestão do governo de Mato Grosso”, afirmou Figueiredo durante live à imprensa.

Conforme o secretário, atos como esses estão sujeitos à detenção da pessoa. “Quem quiser fazer isso e forçar vai ser preso. Tem lei que proíbe e é para segurança das pessoas, inclusive, não há nem visita dos parentes aos pacientes com Covid nos hospitais quanto mais as pessoas irem para dentro dos hospitais para fazer supervisão ou invasão dessa natureza”, alertou. “É totalmente desproposital essa sugestão (do presidente) que não vem ao encontro do pensamento de praticamente todos os secretários de Saúde do Brasil”, frisou.

No último dia 11 deste mês, em sua live semanal, Bolsonaro incentivou a invasão de hospitais ao pedir que a população entre em alas destinadas a pacientes da Covid-19 para filmar as instalações e averiguar se os leitos estão, de fato, ocupados. "Tem um hospital de campanha perto de você, um hospital público? Arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente está fazendo isso, mas mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados ou não. Se os gastos são compatíveis", disse o presidente.

Após a fala, casos de invasão de hospitais públicos foram registrados. No domingo (14), cinco deputados estaduais entraram em um hospital no município de Serra, no Espírito Santo, e se depararam com a maior parte dos leitos destinados ao tratamento da Covid-19 ocupados. Outros casos também foram registrados no Distrito Federal e no Rio de Janeiro. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, Bolsonaro tem por hábito minimizar a doença e suas consequências sanitárias.

Durante a entrevista, Figueiredo também foi garantido que nenhuma informação sobre a pandemia será omitida à população mato-grossense. Isso porque há uma semana, o Ministério da Saúde (MS) retirou, do site oficial sobre a pandemia do novo coronavírus, os dados acumulados sobre o número de infectados e mortos pela Covid-19, no país. Com isso, o portal passou a exibir apenas os resultados das últimas 24 horas.

“Mato Grosso tem boletim diário. Tudo que acontece no Estado é em cima de informações oficiais de todas as Secretarias Municipais de Saúde. Ampla publicidade, visibilidade e transparência à população”, afirmou. “Nós, não vamos camuflar ou omitir qualquer informação que deve ser de conhecimento da população”, acrescentou. O boletim epidemiológico sobre os casos confirmados, óbitos, internações e ocupação dos leitos clínicos e de unidades de terapia intensiva (UTI) é divulgado diariamente no fim da tarde.

Há uma semana, o Ministério da Saúde (MS) chegou de retirar, do site oficial sobre a pandemia do novo coronavírus, os dados acumulados sobre o número de infectados e mortos pela Covid-19. Com isso, o portal exibe apenas os resultados das últimas 24 horas. Após críticas, o MS voltou a divulgar oficialmente os números totais de casos e mortes relacionadas à doença no país.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você acha que o Cuiabá Esporte Clube tem chance de acesso à Série A do Brasileirão?
Sim
Não
Ainda falta estrutura
Precisa investir no elenco
PARCIAL