NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 05 de Dezembro de 2020
CIDADES
Domingo, 22 de Novembro de 2020, 09h:10

AMOR RARO

História de amor entre promotora de vendas e o vaqueiro que lhe doou o fígado

A vida do casal nunca foi fácil em função da doença de Suellen e dos cuidados necessários pós-transplante

ALECY ALVES
Da Reportagem
Arquivo de Família
A promotora de vendas Suellen da Silva Titoe o vaqueiro Antônio Ribeiro de Almeida

Qual seria a probabilidade de uma pessoa que está doente, precisando urgentemente de um transplante de órgão, conhecer alguém, esse alguém se apaixonar ela e, quatro meses depois salvar sua vida, ser sua doadora de órgão?

Na vida real, isso ocorreu aqui, em Cuiabá, entre a promotora de vendas Suellen da Silva Tito, 38, e o vaqueiro Antônio Ribeiro de Almeida, 37 anos.

Suellen conta que não conhecia Antônio, mas ambos tinham uma amiga em comum: dona Maria Zeneide Nero, moradora do bairro CPA.

Na verdade, dona Maria é madrasta de Antônio e a filha dela, Maria Rose, amiga de Suellen.

Recém-separada do primeiro marido, Suellen já estava muito doente. Seu diagnóstico: cirrose por hepatite autoimune, doença que somente um transplante de fígado poderia lhe salvar.

Doente e triste com a separação, Suellen foi acolhida na casa da mãe da amiga. Ela conta que dona Maria Zeneide já havia lhe falado do enteado, um rapaz que ela definia como bom e de quem gostava muito. Maria Zeneide também já havia falado ao enteado sobre Suellen.

Descontente com o emprego de vaqueiro em uma fazenda no interior de Mato Grosso, Antônio decidiu se mudar para Goiás. De passagem por Cuiabá, marcou para reencontrar a irmã, Maria Rose, na Estação Rodoviária de Cuiabá.

Ele não queria perder tempo se desviando do caminho, por isso marcou o reencontro com a irmã na Estação Rodoviária. A madrasta, porém, insistiu tanto que ele decidiu ir até sua casa. Foi então que Antônio conheceu e se apaixonou à primeira vista por Suellen.

“Quando a vi não tive dúvida, ela era a mulher dos meus sonhos”, narra ele. E não é força de expressão, o vaqueiro conta que Suellen era a mulher que estava aparecendo em seus sonhos.

Durante 15 dias consecutivos, diz, sonhou chegando à casa da madrasta e a conhecendo, mas não levou o sonho a sério e planejou passar por Cuiabá direto para Goiás.

Suellen, que seguia seu tratamento e a luta pelo transplante, não teve a mesma reação, todavia aceitou o amor do vaqueiro. Desde então, janeiro de 2016, estão juntos.

Quatro meses depois, no dia seis de abril do mesmo ano, Antônio entrou no Hospital das Clínicas, em São Paulo, para doar parte do fígado a então namorada na esperança de salvar a vida dela e juntos construírem uma longa história de amor.

Infelizmente, 28 dias depois o fígado doado por ele paralisou. Suellen, que ainda estava internada, voltou a depender de outra doação para viver.

Ela sabia que foi o órgão doado pelo namorado que lhe garantiu sobrevida até receber o fígado de outro doador.

Quando a história de amor do casal parecia cada dia mais perto do fim por causa das poucas chances de encontrar um novo doado, veio a melhor notícia. O hospital acabara de receber um doador, fígado de um rapaz que morreu por traumatismo craniano em acidente de trânsito.

“Sou muito grata a essa família que no momento de dor, de muita tristeza, respeitou a vontade do filho e deu oportunidade de vida a outras pessoas”, diz Suellen.

A vida do casal nunca foi fácil em função da doença de Suellen e dos cuidados necessários pós-transplante. Também enfrentam dificuldades financeiras, principalmente porque Antônio está desempregado.

“Sou uma mulher de fé e Deus nunca faltou em minha vida”, avalia Suellen. O casal segue unido, morando em Cuiabá, e agora com outros sonhos, da oficialização da união, num casamento com direito a festa, e a conquista da casa própria.

TRANSPLANTE - De janeiro a julho de 2020 o Brasil realizou 9.952 cirurgias de transplante, 37% a menos que 2019, com 15.827.

De fígado foram 1.282 em 2019 e 1.169 este ano.

Até 31 de julho havia 46.181 pacientes na fila por transplante de órgão no país.


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Rosimeire Nery da Silva   23-11-2020 08:49:05
Sou muito feliz por vcs

Responder

0
0



ENQUETE
Você acha que o Cuiabá Esporte Clube tem chance de acesso à Série A do Brasileirão?
Sim
Não
Ainda falta estrutura
Precisa investir no elenco
PARCIAL