NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020
CIDADES
Quinta-feira, 11 de Abril de 2019, 08h:52

RECURSOS

HUJM receberá R$ 1,6 milhão para custeio

O Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM), ligado à Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), está entre as unidades que vão receber recursos federais do Ministério da Saúde (MS) para custear o funcionamento dos serviços de ensino, como consultas, internações e cirurgias, compra de materiais médico-hospitalares como anestésicos, seringas e medicamentos, além de possibilitar a execução de obras de reforma e ampliação da infraestrutura hospitalar, para melhorar e qualificar o atendimento prestado à população. A rede pública hospitalar do estado receberá R$ 1,6 milhão para custear o funcionamento dos serviços de ensino. Do total de recursos liberados, R$ 365,6 mil são para investimento e R$ 1,2 milhão para custeio. Ao todo, deverão ser disponibilizados R$ 102,5 milhões para 48 unidades. Desse total, R$ 79,5 milhões são para o custeio e R$ 22,9 milhões para investimentos. Conforme o MS, esses recursos fazem parte da primeira parcela anual do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF). As portarias autorizando a liberação da verba foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) na última semana. Ao todo, são 34 municípios contemplados. O Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, aponta que a iniciativa visa qualificar e ampliar cada vez mais a capacidade de atendimento dos hospitais universitários federais. “Cada uma dessas unidades é essencial para fortalecer a rede assistencial do SUS, e tem papel fundamental na formação de profissionais de saúde, incluindo médicos especialistas que fazem suas residências nestas instituições. Esses serviços exercem papel importante no avanço de ensino e da pesquisa em saúde, o que contribui com a oferta de novos tratamentos no SUS”, avalia. Ainda segundo o secretário de Atenção à Saúde, as portarias “levam em consideração as necessidades levantadas pelos gestores dos SUS nas esferas estaduais e municipais, em articulação com o MEC que define os projetos a serem executados”. Os recursos são pagos pelo Ministério da Saúde para as instituições que comprovaram o cumprimento das metas de qualidade relacionadas ao porte e perfil de atendimento, capacidade de gestão, desenvolvimento de pesquisa e ensino e integração à rede do SUS. Os pagamentos são efetuados pelo Fundo Nacional de Saúde conforme comprovação dos gastos.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL