NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020
CIDADES
Terça-feira, 20 de Outubro de 2020, 00h:00

TRATAMENTO INTENSIVO

Leitos para Covid-19 começam a ser desativados em MT

Garantia é de que a medida não irá interferir na prestação de serviço devido ao número de internados com a doença

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
UTI da Santa Casa

A pandemia do novo coronavírus ainda não acabou, mas os leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) abertos para pacientes com a Covid-19 estão em processo de transição para atender outras doenças. A Secretaria de Estado de Saúde (Ses-MT) já anunciou o desligamento de 10 vagas intensivas exclusivas para a assistências de pessoas infectadas pelo vírus no Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá. A mesma possibilidade vem sendo avaliada no Hospital Regional de Rondonópolis (210 quilômetros, ao sul da Capital).

Também já foram desabilitadas 10 UTIs para a Covid-19, no Hospital Regional de Sinop (503 quilômetros, ao norte de Cuiabá). De acordo com a Ses-MT, devido à baixa ocupação das UTIs para Covid-19, a Santa Casa iniciou o processo para retomada das cirurgias eletivas. Diante disso, no último dia 13, a unidade efetuou a desativação de 10 vagas específicas para tratamento dos pacientes com a coronavírus. Com a redução, a unidade passará a contar com 50 leitos de UTI.

A garantia é de que a medida não irá interferir na prestação de serviço devido ao número de internados atualmente com a doença. No boletim datado do último domingo (18), 22 pessoas estavam internadas em uma das vagas, o correspondente a 44% de ocupação. “Nosso planejamento prevê uma redução no número de leitos da Santa Casa e a transferência de parte desses leitos para o Hospital Metropolitano (em Várzea Grande). Desta forma, vamos ter leitos suficientes no Hospital Estadual para a retomada das cirurgias eletivas. O Metropolitano seguirá como a principal referência para o atendimento de pacientes com a Covid-19”, informou na ocasião o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Já em Rondonópolis, onde fica o Hospital Regional Irma Elza Giovanella, a ocupação era de 91,67%, ou seja, 11 das 12 UTIs estavam ocupadas. Por lá, o governo do Estado informou, por meio de nota, que no momento é feito um estudo que analisa a possibilidade de transferência para outra unidade de saúde, localizada em Rondonópolis, dos 10 leitos exclusivos para a Covid-19 para que seja possível viabilizar o reinício das cirurgias eletivas na região sul.

O Estado garantiu ainda que os 30 leitos de UTI, que atualmente são custeados pelo governo, serão mantidos em Rondonópolis, por ser referência. O Hospital Regional é referência para cerca de 15 municípios da região, abrangendo um universo aproximado de 500 mil pessoas.

Ontem (19), o deputado estadual Thiago Silva informou que acompanha de perto as tratativas do Estado para a transferência das UTIs para do Hospital Regional para a Santa Casa, bem como a volta da realização das cirurgias eletivas. O parlamentar cobra para que sejam mantidos o mesmo número de leitos para Covid, tendo a Santa Casa como alternativa, uma vez que desde ontem o Regional não seria mais referência para pacientes infectados pelo vírus.

“A população da nossa cidade ficou preocupada com a informação que compromete diretamente o atendimento às pessoas com coronavírus, pois a pandemia ainda está presente e, por ligação, falei neste domingo (18) com o secretário de Estado Gilberto que garantiu que irá manter em Rondonópolis o mesmo número de leitos de UTI covid, garantindo atendimento a toda a região”, afirmou.

Há cerca de uma semana, a Prefeitura de Cuiabá também anunciou a retomada destes tipos de serviços não emergenciais na área da saúde. No banco de dados do Sistema de Regulação (Sisreg), aguardam na fila para cirurgia eletiva 22.272 pacientes, sendo 9.038 de Cuiabá e 13.714 do interior de Mato Grosso.

METROPOLITANO – Segundo a Ses-MT, o Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, dispõe de 40 UTIs e 178 leitos clínicos exclusivos para o tratamento da doença, sendo a maior estrutura da rede estadual a ser dedicada inteiramente ao atendimento de pacientes com coronavírus. A ideia é reduzir gradativamente o número de leitos de UTI Covid-19 – conforme as taxas de ocupação – e, assim, conseguir retomar aos poucos as cirurgias eletivas nas unidades.

Até a tarde deste domingo (18), o Estado contabilizava 135.950 casos e 3.717 óbitos em decorrência do vírus. Num prazo de 24 horas (entre sábado e o domingo), foram notificadas 166 novas confirmações da doença. Do total de infectados, 14.810 estavam em isolamento domiciliar e 116.824 recuperados. Vale lembrar que os dados são atualizados diariamente pela Ses-MT sempre ao fim da tarde.

Também havia 191 pessoas internadas em UTIs e 196 em enfermarias, ou seja, a taxa de ocupação em 47,75% e 22%, respectivamente. Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (26.691), Rondonópolis (9.876), Várzea Grande (9.680), Sinop (6.441), Sorriso (6.068), Lucas do Rio Verde (5.812), Tangará da Serrar (5.470), Primavera do Leste (4.650), Cáceres (3.381) e Campo Novo dos Parecis (2.844). Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo vírus.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você acha que o Cuiabá Esporte Clube tem chance de acesso à Série A do Brasileirão?
Sim
Não
Ainda falta estrutura
Precisa investir no elenco
PARCIAL