NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 13 de Julho de 2020
CIDADES
Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019, 17h:39

NOVO PRONTO-SOCORRO

Liberação depende de relatório de juíza

Célia Regina Vidotti inspecionou obras do novo hospital municipal, que está com 96% dos trabalhos concluídos

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
Após inspecionar o canteiro de obras do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), no bairro Ribeirão do Lipa, a juíza Célia Regina Vidotti, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Popular da capital, emitirá relatório que deverá nortear os trabalhos da prefeitura para a liberação e funcionamento do complexo hospitalar que abrigará o pronto-socorro, maior unidade em urgência e emergência de Mato Grosso. “Fiz uma vistoria observando a parte estrutural do hospital, com os documentos do processo verificarei a parte cronológica, concurso público e todas as outras questões atinentes a administração pública”, disse a magistrada. O prazo para emissão do relatório não foi informado. Segundo o Executivo municipal, o complexo hospitalar está com 96% das obras físicas concluídas e com grande parte do mobiliário instalado. Ainda que inacabado, o HMC, denominado de Dr. Leony Palma de Carvalho, chegou a ser inaugurado em dezembro do ano passado. Também permanece de portas fechadas e sem prestar serviços aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) por conta de uma decisão da Justiça que proibiu a transferência dos serviços médicos e hospitalares do atual pronto-socorro para o local. A decisão é resultado de uma ação de tutela provisória antecipada impetrada pelo Ministério Público do Estado (MP/MT) contra a administração municipal. De acordo com informações do Tribunal de Justiça (TJ), entre os pedidos do MP, estão a apresentação da estimativa orçamentária, o lotacionograma indicando o qualitativo e quantitativo de mão de obra e o plano operacional que definirá como se dará a transferência dos serviços prestados da atual unidade para a futura. “O MP também indicou que embora a obra esteja sendo realizada há três anos, somente há um mês o Conselho Municipal de Saúde (CMS) foi convocado em caráter de urgência para aprovar o plano ou modelo de gestão e a contratação da empresa Cuiabana de Saúde Pública (que irá administrar o novo hospital)”, informou. Pelo cronograma da prefeitura, a parte ambulatorial será a primeira a entrar em funcionamento e foi mostrada com detalhes à juíza e aos promotores Mauro Poderoso de Souza, responsável pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, e Alexandre Guedes, do Núcleo de Cidadania. “Como a senhora e os senhores podem ver, todos os consultórios, assim como a recepção estão prontos para receber os primeiros pacientes, assim que a Justiça liberar. Este é um grande anseio nosso e de toda a população cuiabana”, acredita o prefeito Emanuel Pinheiro. Já Guedes reforçou a preocupação com um plano adequado de transferência dos serviços do antigo Pronto Socorro para o futuro prédio e que seja feito de forma adequada. “O Ministério Público como parte da ação está preocupado com o funcionamento do Pronto Socorro, com os servidores que irão operacionalizar este hospital. O que desejamos é que a estrutura funcione o mais rápido possível dentro das condições técnicas adequadas para isto”, disse. O grupo visitou dezenas de ambientes, entre eles o das UTIs, consultórios, ambulatórios, salas de exames e cirurgia, isolamento, semi-intesivo, entre outros. “Contra fatos, não há argumentos. A parte ambulatorial e de pequenas cirurgias, que é o que estava previsto no cronograma já está totalmente apta para começar a funcionar. Já temos médicos da rede que estão preparados para atuar no HMC. Esperamos apenas a liberação (da Justiça) para começarmos os trabalhos aqui”, afiançou o secretário municipal de Saúde (SMS), Luiz Antonio Possas de Carvalho.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você acha da decisão da CPI do Paletó de pedir o afastamento do prefeito?
Ele tem que ser afastado
Ele tem que ser cassado
Ele é inocente
Tanto faz
PARCIAL