NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 05 de Dezembro de 2020
CIDADES
Quarta-feira, 17 de Junho de 2020, 00h:00

PANDEMIA

Mais 15 municípios buscam ampliação de leitos de UTI para Covid-19

Por meio de uma parceria o governo estadual e a prefeitura, Cuiabá deverá ganhar mais 30 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), no antigo pronto-socorro. Outras 30 vagas intensivas estão previstas para serem criadas no Hospital Metropolitano, em Várzea Grande. Ontem (16), o secretário de Estado de Saúde (Ses-MT) informou que está em negociação com pelo menos outros 15 municípios do interior para a abertura de aproximadamente 100 leitos de UTI para tratamento da Covid-19.

Segundo Figueiredo, foi republicada uma portaria ampliando de R$ 1.743 para R$ 2 mil o valor da diária/leito para Covid-19, no Estado. “Significa dizer que para cada 10 leitos de UTI que foram implementado em algum hospital no Estado de Mato Grosso seja público ou privado o governo do Estado aportará R$ 600 mil ao mês para pagar o custo do financiamento dessa UTI. E essa proposta está aberta a todos os municípios de Mato Grosso”, disse.

Nesse momento, além da capital e Várzea Grande, o órgão estadual já está em tratativas para ampliação de vagas em UTI para pacientes infectados pelo vírus com Nova Mutum (20), Barra do Garças (10), Primavera do Leste (10), Sinop (09), Rondonópolis (20), Campo Verde (10), Confresa (10), Água Boa (10), Alta Floresta (10), Peixoto de Azevedo (10), Lucas do Rio Verde (10), Cáceres (10), Alto Araguaia (10), Sorriso (10) e Pontes e Lacerda (10). “Esses municípios já sentaram com o governo do Estado ou fizemos reuniões à distância dentro desta portaria que foi publicada pela Secretaria de Estado de Saúde fazendo essa proposta e estamos envidando esforços. Em cada município há uma iniciativa diferente, alguns têm equipamentos, têm instalações prontas outros estão finalizando ou vão contratar uma pessoa jurídica, uma empresa que tenha a solução completa”, disse.

Com essas parcerias, ainda em negociação, a expectativa é de criação de mais 100 leitos aproximadamente de UTI Covid no interior. “O governo assegura os custos das UTIs. Mesmo que elas não venham a ser habilitadas pelo Ministério da Saúde (MS) o governo do Estado vai aportar R$ 2 mil por leito, não necessariamente se tiver paciente. Se o leito tiver vazio mesmo assim o município vai receber R$ 2 mil por diária de leito, o que dá R$ 600 mil ao mês”, disse.

Ontem, o governo do Estado também informou que está adquirindo mais 80 ventiladores pulmonares, sendo 50 fixos e 30 móveis que serão utilizados para a criação de mais UTI nos hospitais regionais e transporte de urgência e emergência. Os equipamentos foram comprados na China, uma vez que nas aquisições anteriores o Estado chegou a pagar três vezes menos que outros entes da federação por produtos similares, conforme auditoria da Controladoria-Geral do Estado (CGE-MT).

Segundo informações da assessoria de imprensa, laudos técnicos também atestaram a qualidade e eficiência dos produtos comprados pelo governo para o tratamento dos pacientes da covid-19, que já estão sendo utilizados nos hospitais do estado. Além dos respiradores, o governo está em processo de compra de equipamentos de proteção individual (EPIs), como 30,2 mil luvas de látex, 320 mil aventais, 40 mil capotes, 1,140 milhão de máscaras cirúrgicas e 250 mil máscaras N95. Também serão comprados mais 30 monitores, 400 mil testes covid-19, 2 equipamentos para testagem e 680 kits para a realização dos exames.

“Continuamos nosso esforço para estruturar a rede pública e termos capacidade de atender aos casos de coronavírus, frente ao aumento da demanda. Estamos abrindo novas UTIs por todo o estado, mas para as UTIs funcionarem precisamos de respiradores, equipamentos, EPIs e profissionais capacitados. Essas novas aquisições são um passo importante para garantir o atendimento de qualidade aos pacientes com a covid-19”, afirmou o governador Mauro Mendes.

Ainda, segundo a assessoria, as primeiras aquisições de respiradores, camas, monitores e equipamentos de proteção comprados pelo governo na China começaram a chegar em Mato Grosso no final de abril. Até o momento, o Estado já recebeu 215 monitores e 120 respiradores, além de macacões de proteção (40 mil), camas elétricas (255), protetores faciais (5 mil), máscaras cirúrgicas (500 mil) e do tipo KN95 (50 mil). 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você acha que o Cuiabá Esporte Clube tem chance de acesso à Série A do Brasileirão?
Sim
Não
Ainda falta estrutura
Precisa investir no elenco
PARCIAL