NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 11 de Julho de 2020
CIDADES
Quinta-feira, 03 de Novembro de 2016, 20h:15

EDUCAÇÃO

Mais da metade tem medo de ir à escola

Aline Almeida
Da Reportagem
Em Mato Grosso, 54,6% dos alunos confirmam que a escola onde estudam está localizada em área de risco em termos de violência. Os números são referentes ao 10° Anuário de Segurança Pública. O número é maior que a média do país, que é de 50,8%. A pesquisa compreende alunos do 9° ano do ensino fundamental. Na rede pública de Mato Grosso, 54,9 % dos alunos afirmaram que a escola está em área violenta. Na iniciativa privada, o índice alcança 51%. A pesquisa também mostrou que, no Estado, 8,6% das unidades suspenderam suas atividades ou interromperam as aulas por motivo de segurança. No Brasil o percentual é o mesmo. Em relação aos estudantes, 9,4% dos alunos das escolas públicas responderam que o fato já ocorreu em sua escola. O Anuário revela ainda um percentual, no Brasil, de 14,8 alunos que não compareceram à escola por falta de segurança no trajeto casa escola ou escola. No trajeto casa-escola foram 11,5%, na escola 9,5 deixaram de ir por falta de segurança. Dos que confirmaram insegurança, 15,8% são de escolas públicas e 9,0 de escolas privadas. Nesse quesito, o Estado de Mato Grosso supera o quantitativo nacional, com 19,9% que não compareceram à escola por falta de segurança no trajeto. Em Mato Grosso, 15,5% dos alunos apontaram insegurança no trajeto e 14,1% na escola. Dos que confirmaram, 20,9% são da rede pública e 9,3% da rede privada. No Centro-Oeste 14,8% dos alunos do 9° ano do ensino fundamental responderam que não compareceram à escola por falta de segurança no trajeto casa-escola ou escola. O anuário revela ainda que 19,9% dos alunos em Mato Grosso já zombaram e intimidaram colegas. 23,2% dos meninos responderam que já praticaram o ato e 16,5 das meninas. De escolas públicas são 19,7 e 22,2 de escola privada. Já em relação aos alunos que já sofreram este tipo de represália no Estado, 8,4% responderam que isto sempre acontece com ele e 36,8% diz que às vezes passa por isso. Das causas das humilhações 6% no Estado responderam que eram referentes a cor/raça. 4,1% disseram ser religião, 8,2% aparência do rosto, 15,4% a aparência do corpo, 2,1% a orientação sexual, 1,8% a região de origem e 62,4% responderam serem outros motivos. Pesquisa - O Anuário aponta que metade dos escolares (50,8%) declaram estar situadas em áreas de risco em termos de violência, ou seja, com presença de roubos, furtos, assaltos, troca de tiros, consumo de drogas, homicídios, entre outros. Isso fez com que 9,3% das escolas públicas e 4,7% suspenderem as aulas por insegurança. E ainda 11,5% dos escolares afirmam que faltaram às aulas por não se sentirem seguros no trajeto entre suas casas e a escola. A reprodução de uma lógica de violência é assumida também pelos próprios alunos: um em cada cinco (19,8%) diz que adotou comportamentos que magoaram, aborreceram, ofenderam ou humilharam algum de seus colegas.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL