NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2021
CIDADES
Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2021, 16h:00

ENSINO PRESENCIAL

Novo pico da Covid-19 aumenta medo de contágio com volta às aulas

Temor é de que as medidas adotadas não sejam eficientes para controlar a disseminação do coronavírus

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
Estudo indica como vírus se espalha em uma sala de aula

Em meio a novo pico da Covid-19, as aulas presencias estão previstas para começar no próximo dia 8 de fevereiro na rede estadual de Mato Grosso.

No mesmo mês, também há uma perspectiva de reabertura das escolas municipais e do setor privado, em Cuiabá.

Contudo, ainda que na forma híbrida (online e remoto), consequentemente, com turmas reduzidas e a adoção de protocolos, como uso de máscara e álcool em gel, há pais e estudantes que se sentem inseguros e temem que as medidas não sejam eficientes para conter a disseminação do coronavírus, que causa a doença.

“É melhor estudar de forma presencial. Mas, esse é um momento muito atípico. Ainda estamos numa pandemia. Minha mãe trabalha na área da saúde, é enfermeira na linha de frente contra a Covid-19, e entendemos que nesse momento é complicado voltar às aulas presenciais. A gente acha que é melhor esperar até chegar a vacina”, disse a estudante Marielle da Silva França, 15 anos.

Matriculada no 1º do ensino médio, Marielle conta que, ano passado, iniciou os estudos de forma remota, mas, ao longo dos meses, passou a pegar apostilas no colégio em que estudava, a Hélio Palma, que fica no bairro Carumbé.

“Foi complicado. Eram poucos alunos participando da aula pela internet. Esse ano tive que transferir a matrícula para outra escola, mas ainda que online a expectativa é de que o aproveitamento seja maior”, comentou.

Mãe da pequena Alice, de 7 anos, Marta Henrique da Silva, 35 anos, também tem receio.

Ela conta que a filha tem autismo e não fica com o acessório de proteção facial pelo tempo necessário. “Ela não consegue usar a máscara por muito tempo. Imagina por quatro ou cinco horas?”, disse.

“No ano passado, tive que pegar material impresso na escola e tentar ensinar. Foi difícil, mas prefiro assim. É mais seguro”, disse.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) garantiu que tem adotado todas as medidas para garantir retorno às atividades presenciais com segurança.

Ainda em dezembro do ano passado, por exemplo, realizou o pagamento do recurso, no valor de R$ 3,7 milhões, para que 717 unidades escolares iniciassem o processo de aquisição de bens e serviços para a prevenção do coronavírus no ambiente escolar.

A rede conta com aproximadamente 380 mil alunos.

Além da observação rígida de todos os protocolos de biossegurança e distanciamento necessários para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, outro ponto importante é a previsão do revezamento de alunos para diminuir pela metade a lotação das salas. Em uma sala de 48 metros quadrados (m²) cabem 35 alunos, quando retornar esta aula, teremos uma sala de 15 alunos.

ENQUETE - Porém, nesta semana, a Seduc-MT decidiu ouvir pais e responsáveis e os profissionais da rede para saber a opinião deles sobre assunto.

Por meio de uma enquete no site da Seduc (www.seduc.mt.gov.br), será possível escolher entre três modelos: presencial (100% dos alunos em sala de aula), híbrido (50% dos alunos em sala de aula, com revezamento) ou não presencial (100% dos alunos em casa com estudo on-line e off-line).

A enquete começou terça-feira (12) e será finalizada hoje (14). Vale lembrar que os profissionais da rede já votaram indicativo de greve em assembleia geral realizada no passado e ameaçam paralisação caso até o reinicio das atividades presenciais ainda não tenha a vacinação contra a doença.

CUIABÁ – Em Cuiabá, a decisão quanto ao retorno ou não das atividades presenciais deve ser tomada nesta quinta-feira (14), pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

O assunto foi discutido num primeiro encontro com representantes do setor privado realizado, no último dia 8 deste mês.

“Mais do que nunca, estamos no mesmo barco e minha arma é o diálogo, é o respeito. Estou preocupado com a situação das redes pública e privada em relação ao ensino e a aprendizagem e, temos que tomar uma decisão em conjunto. Não podemos ser insensíveis à realidade da rede privada. É uma situação muito dramática e, claro, quem é empresário do setor está passando uma situação muito difícil”, disse o prefeito, na ocasião.

A secretária de Educação de Cuiabá, Edilene de Souza Machado, informou ainda que a rede pública municipal trabalha com trêss possibilidades de retorno das aulas.

A primeira, mantendo o ensino remoto; a segunda, com a adoção do sistema híbrido; e a terceira, exclusivamente de forma presencial, que, neste último caso, chegou a ser descartada pela gestora municipal.

“A Secretaria Municipal de Educação já adquiriu todos os equipamentos e materiais de biossegurança, nossos profissionais passaram por formação e nosso plano de retorno seguro está concluído. Mas a decisão sobre o retorno das atividades presenciais deverá ser tomada com base nas orientações e recomendações das autoridades de saúde e da Vigilância Sanitária”, destacou.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Qual deve ser a prioridade do 2º mandato do prefeito Emanuel Pinheiro?
Melhorar o transporte coletivo
Tornar a Saúde Pública acessível a todos
Ampliar a Assistência Social
Educação para todos
PARCIAL