NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 08 de Julho de 2020
CIDADES
Sexta-feira, 25 de Novembro de 2016, 20h:38

HOSPITAIS

Paralisação superlotou o Pronto-Socorro

Antes de voltarem a atender pacientes do SUS, os hospitais filantrópicos provocaram o caos no Pronto-Socorro de Cuiabá

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
A suspensão do atendimento pelos cinco maiores hospitais filantrópicos de Mato Grosso provocou a hiperlotação do pronto-socorro de Cuiabá. Diante do caos instalado e da falta de resolução por parte das autoridades públicas ligadas à área da saúde do município e do Estado, a direção do pronto-socorro encaminhou alerta que caso a situação não seja normalizada não terá alternativa a não ser a suspensão integral da admissão de novos pacientes em caráter urgente e imediato. Ainda ontem, no final da tarde, os hospitais divulgaram nota informando que voltariam a atender normalmente. De número 369/2016, o ofício encaminhado aos poderes públicos das duas esferas governamentais é datado do dia 22 deste mês. Nele, o diretor clínico do PS, Flávio Roberto Silva de Souza, a diretora superintendente, Karla Lorena dos Santos, e o diretor técnico, Alexandre Martins, informam que a medida visa a “evitar a prestação de atendimento precário aos diversos pacientes que estão sendo encaminhados ao nosocômio a todo instante cumulado aos riscos de complicações e infecções das mais variadas espécies”. No documento, a diretoria do PS afirma que o hospital chegou ao ápice de sua capacidade instalada encontrando-se em uma situação de hiperlotação, sendo que o eixo da emergência encontram-se 133 pacientes aguardando a disponibilização de leitos de UTIs e enfermaria. Do total, 40 estão acomodados na sala vermelha, que tem a capacidade para apenas oito pessoas. Outro ponto importante é que no pronto-socorro, traz o ofício, encontra-se com 150 pacientes aguardando para realizar as cirurgias ortopédicas eletivas. Vale lembrar que o Hospital Municipal São Benedito, considerado de alta e média complexidade cirúrgica, foi inaugurado em 2015 e preparado para realizar procedimentos ortopédicos, entre outros. Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) amenizou a situação, dizendo que a direção do pronto-socorro apenas comunicou a situação da unidade pedindo a tomada de providências em relação à questão. A SMS garantiu ainda que, ao menos até ontem pela manhã, o atendimento era normal no hospital. Lembrou ainda que o prefeito Mauro Mendes já havia solicitado à Justiça que determinasse aos hospitais filantrópicos que voltassem a atender os pacientes, em razão do repasse em dia realizado pela Prefeitura de Cuiabá. Outra providencia foi notificar o HPSM de Várzea Grande e Hospital Metropolitano, que receba também esses pacientes. “A SMS de Cuiabá aguarda essas decisões, reforçando o seu compromisso e a sua responsabilidade com a Saúde e espera que os hospitais voltem a atender os pacientes do SUS”, disse, ontem pela manhã. Os filantrópicos, como a Santa Casa, Hospital Geral Universitário, Santa Helena, Hospital do Câncer e o de Rondonópolis cobravam o pagamento de repasses atrasados. Juntos, o déficit financeiro seria em torno de R$ 3,6 milhões.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL