NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 11 de Agosto de 2020
CIDADES
Sexta-feira, 29 de Junho de 2018, 17h:15

BENEDITO FIGUEIREDO

Ponte será interditada a partir de 2ª feira

A partir de segunda-feira, os condutores que costumam trafegar pela Avenida Guidauguro, entre os bairros Coophema e Praeirinho, precisam ficar atentos. Isso porque a ponte Professor Benedito Figueiredo será novamente interditada para continuidade das obras de reestruturação da estrutura, que sofreu desmoronamento de terra em uma de suas cabeceiras. Conforme o diretor de Trânsito da Semob, Michell Diniz, a empresa responsável pelos serviços pediu a intervenção no local e o trânsito deverá permanecer bloqueado por pelo menos 15 dias. “A empresa solicitou o trancamento nesse período para a retirada da chapa de aço, colocada pela secretaria como forma paliativa”, informou. O secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo, lembra que o bloqueio da Benedito Figueiredo afeta o trânsito das Avenidas Fernando Corrêa e na Beira Rio, mas a restauração se dará em período de férias escolares, medida adotada para amenizar o impacto no trânsito. “Optamos pela intervenção nesse período em que muitas instituições de ensino estão no período de férias, para tentar impactar o menos possível na mobilidade urbana para quem faz o acesso desses bairros pela Benedito Figueiredo”, afirma o gestor. A ponte já havia sido interditada totalmente pelo município em fevereiro e em dezembro do ano passado, sendo essa a terceira interdição. Nas ocasiões, a Defesa Civil constatou a existência de um processo de desbarrancamento em uma das suas cabeceiras. A Semob garantiu que a região está sendo sinalizada para informar os condutores sobre o bloqueio. “Essa é uma interdição considerada importante, o local será todo sinalizado, indicando o bloqueio e a Semob dará total apoio, inclusive com nossos agentes de trânsito. Pedimos novamente um pouco de paciência”, disse Figueiredo. A ponte é de responsabilidade do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cidades (Secid). A construção estava sobre a responsabilidade da empresa A.I. Fernandes Serviços de Engenharia, que por não cumprir o prazo de finalização dos trabalhos em 90 dias, teve o contrato rompido. Já a reconstrução da cabeceira foi reiniciada em janeiro deste ano pela empresa Conenge Construção Civil Ltda, vencedora do processo licitatório de caráter emergencial realizado pela Secid. A princípio, o prazo para conclusão dos trabalhos é 90 dias para a conclusão dos trabalhos, ao custo de R$ 514,4 mil. A ponte foi idealizada para a Copa do Mundo de 2014 e teve orçamento final de R$ 5,83 milhões.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O Brasil já ultrapassou as 100 mil mortes pela Covid-19. Para você, quem tem culpa?
O presidente Jair Bolsonaro
Os governadores
Os prefeitos
Ninguém. A doença é incontrolável
PARCIAL