NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 08 de Agosto de 2020
CIDADES
Sexta-feira, 31 de Julho de 2020, 14h:45

EFEITO PANDEMIA

Suspensão de aulas vai até 2 de agosto, mas retorno ainda é incerto

Prazo é definido em decreto, mas, segundo a Prefeitura, depende de estudos técnicos sobre o vírus

Da Redação
Divulgação
Em principio, volta às aulas está marcada para o dia 2 de agosto, mas decisão depende de estudos técnicos sobre a Covid-19, segundo a Prefeittura

A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Educação, informou, nesta sexta-feira (31), que permanece inalterada a decisão sobre a suspensão das atividades presenciais nas unidades das redes pública e privada de ensino do Município.

As aulas permanecem suspensas até o dia 2 de agosto, de acordo com o Decreto nº 7.998, do dia 13 de junho.

De acordo com a secretaria, a definição do retorno das aulas em Cuiabá, no entanto, dependerá de estudos técnicos, em relação à velocidade de propagação e contágio pelo coronavírus, a fim de que seja preservada a saúde da população.

Apesar da pressão dos proprietários de escolas particulares para o retorno às aulas, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que ainda não existe nenhuma expectativa para retomada das atividades de forma presencial nas unidades na Capital.

A cobrança pelo retorno voltou a ganhar força nesta semana, com a retomada de praticamente todas as atividades econômicas e serviços não essenciais na cidade, após novo decreto com medidas restritivas para conter os casos da Covid-19, estabelecido pelo governador Mauro Mendes (DEM).

Nesta semana, Emanuel Pinheiro, em entrevista,  observou que, pela sua estrutura física, sua especificidade e pelo número de pessoas envolvidas, as aulas, sejam elas públicas ou particulares, do ensino infantil, fundamental ao médio, acabam sendo um forte propagador da Covid-19.

Lembrou que, somente em Cuiabá, entre escolas públicas e privadas, são 109 mil alunos.

"Somado a cerca de 30 mil trabalhadores, nos dois setores, estamos falando de um universo de 149 mil pessoas, quase um quarto da população cuiabana, isso fora os colaboradores, fora os prestadores de serviços, o que gera todos indo para o mesmo ponto, para uma mesma sala de aula e se aglomerando”, disse o prefeito.

Além disso, a estrutura das salas não permite o distanciamento de cerca de 1,5 metro.

Leia mais sobre o assunto:

Prefeito diz que ainda não dá para permitir a volta às aulas


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL