NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 08 de Julho de 2020
CIDADES
Quarta-feira, 02 de Janeiro de 2019, 16h:47

TRANSPORTE COLETIVO

Usuários reclamam de aumento da tarifa

Desde ontem a tarifa do transporte coletivo em Cuiabá custa R$ 4,10; usuários do serviço reclamam

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
O primeiro dia útil de 2019 começou com a tarifa do transporte coletivo 25 centavos mais cara em Cuiabá. Desde ontem, os usuários do serviço estão pagando de R$ 4,10 pelo transporte. O aumento foi aprovado pelo Conselho Participativo da Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados de Cuiabá, no último dia 31 de dezembro de 2018. Como o órgão é independente, a decisão não precisa de aprovação da Prefeitura de Cuiabá. “A decisão é técnica. Se chegar em minhas mãos algum problema, algo que foi feito de maneira errada, que prejudique uma das partes eu posso intervir e solicitar uma ação política de intervenção. Peço equilíbrio”, disse o prefeito Emanuel Pinheiro. Já os usuários não gostaram do aumento. Maria Clara Parentes, 21 anos, moradora do bairro Jardim Leblon, reclamou. Segundo ela, que diariamente usa dois ônibus para o transporte de sua casa até seu trabalho, na região central de Cuiabá, o serviço de transporte coletivo é precário e nos horários de pico é difícil não achar um ônibus lotado. “Tem que colocar mais ônibus nas ruas”, disse. Paulo Araújo Lemos, 46 anos, morador do bairro Santa Izabel, reclama da qualidade dos ônibus. Segundo ele, que diz utilizar o serviço diariamente, Cuiabá é uma cidade muito quente e são raros os ônibus com ar condicionado. “A prefeitura autoriza o aumento do preço da tarifa, só que esquece de cobrar dos empresários melhores ônibus, com ar condicionado para a população”, reclama. “É sempre assim, quem sofre é o pobre, que precisa utilizar o transporte coletivo e agora vai ter que pagar mais caro. Rico, tem carro. Todo início do ano é a mesma ladainha, na hora de aumentar o preço do ônibus, os empresários e a prefeitura prometem carros melhores para a população e fica só na promessa”, reclama Carla Maria Rocha, 35 anos, moradora do bairro Osmar Cabral. AUMENTO - O percentual do aumento é de 6,7% para a passagem que custava R$ 3,85. O transporte público é utilizado por cerca de 250 mil pessoas diariamente. Esses usuários dispõem de uma frota de 330 veículos. O reajuste tarifário levou em consideração o valor do combustível, custos com veículos, mão de obra, dentre outras despesas. O cálculo para definição da tarifa do transporte coletivo utiliza uma fórmula paramétrica. São considerados os preços do óleo diesel tipo S10 ou similar, a variação do custo de veículos tomando como referência o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a variação da soma do salário dos motoristas, já acrescentados os adicionais e benefícios previsto na convenção coletiva do trabalho, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para reajuste de outras despesas das empresas de transporte coletivo e outros fatores de ponderação. No último estudo feito pela Arsec, em 2017, a tarifa sofreu reajuste de 5,8%, elevando a passagem de R$ 3,60 para R$ 3,85. O valor passou a ser cobrado desde o dia 2 de janeiro de 2018.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL