Domingo, 21 de julho de 2019 Edição nº 15220 16/05/2019  










CINEMAAnterior | Índice | Próxima

Biógrafo cobra de distribuidora estreia do filme Marighella

Da Folhapress – São Paulo

Biógrafo do guerrilheiro Carlos Marighella, o jornalista Mário Magalhães se queixa nas redes sociais de que o filme inspirado em seu livro, dirigido por Wagner Moura, pode estar sendo alvo de "obscurantismo dos novos censores" e por isso ainda não chegou aos cinemas.

Ele se refere ao fato de que o longa-metragem, que estreou em fevereiro no Festival de Berlim, ainda não tem data de lançamento no país. Nesta semana, o filme será exibido numa mostra de cinema em Sydney.

Marighella, o filme do Wagner Moura, chega à Austrália. Estrear no Brasil, que é bom, nada", escreveu numa rede social. E indagou à Paris Filmes, distribuidora do longa no país: "Vai se submeter ao obscurantismo dos novos censores? Censura nunca mais!"

Procurado pela Folha, o presidente da distribuidora, Marcio Fraccaroli, não retornou as ligações. Sua assessoria de imprensa informa que a empresa "não sofre nenhuma pressão no âmbito político."

"O filme ainda não tem data de estreia e a definição será feita a partir do cenário previsto no calendário de estreias, que permanece muito competitivo", diz. Ainda segundo a assessoria de comunicação da Paris, pelo menos outros cinco títulos encontram-se na mesma condição: "O Juízo", "Os Salafrários", "Tudo ou Nada", "M8 - Quando a Morte Socorre a Vida" e "Quem Vai Ficar com Mario?".

Estreia do ator Wagner Moura na direção, "Marighella" traz Seu Jorge na pele do guerrilheiro que lutou contra a ditadura militar e acabou assassinado pelo regime. A obra fez parte da seleção principal do Festival de Berlim, um dos mais importantes do calendário, e foi alvo de críticas nas redes sociais por seu teor político.

Mesmo sem assistir ao filme, mais de 15 mil pessoas resolveram dar nota ao longa no IMDb (Internet Movie Database). O site americano é a maior referência mundial para todo tipo de informações sobre cinema e produções de TV, trazendo por exemplo o elenco completo dos filmes, as músicas das trilhas sonoras, datas de estreias e também uma avaliação entre 1 e 10 dada pelos usuários.

Aparentemente após perceber que se tratava de campanhas organizadas, o IMDb acabou com a brincadeira tirando do ar o sistema de avaliação para "Marighella", ainda na tarde de segunda (18). Também apagou as resenhas feitas pelos usuários. Nenhum porta-voz do site foi encontrado para comentar.

Moura, que se alinha com a esquerda e empunhou uma placa com o nome de Marielle Franco na exibição, havia antecipado o problema em entrevista aos jornalistas em Berlim. "Vamos enfrentar muita merda no Brasil", disse, em referência à polarização política no país

Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:08 MT Prev arrecada R$ 1,3 bilhão a menos que o necessário para pagar aposentados
18:07 Eleição para prefeito em Cuiabá divide tucanos
18:07 Governo conclui pagamento da folha de junho
18:06 Jovem agride ex-companheira em delegacia e é preso
18:05 Preso rapaz que estuprou e matou criança de 8 anos


18:04 Exame identifica segunda ossada de mulher desaparecida
18:04 Irmãos são assassinados e levados para UPA que acaba fechada
18:03 Coronel confessa grampo a pedido de Pedro Taques
18:01 Erros de advogados iniciantes
18:00 Capital humano
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018