Terça feira, 10 de dezembro de 2019 Edição nº 15283 14/08/2019  










EM ALTAAnterior | Índice | Próxima

E-commerce fatura R$ 5,6 bilhões em julho

Da Reportagem

No início do segundo semestre, os brasileiros continuam empolgados com o comércio eletrônico. De acordo com dados do Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado com foco em e-commerce, no sétimo mês do ano as compras online apresentaram alta de 22,9% e totalizaram R$ 5,6 bilhões.

A alta está relacionada principalmente ao aumento no número de pedidos: ao todo, foram realizadas mais de 14 milhões de compras online no período – aumento de 22,4% em relação a julho de 2018.

O tíquete médio ficou praticamente estável no período, totalizando R$ 398, apenas 0,4% maior do que no mesmo período do ano anterior.

De acordo com André Dias, Diretor Executivo do Compre & Confie, “O comércio eletrônico é um dos principais setores da economia que apresentam crescimento em momentos de recuperação econômica, impulsionados por preços competitivos e mudança no comportamento de compra do consumidor brasileiro. Além disso, jogos da Copa do Mundo e pré-eleições certamente enfraqueceram as vendas no ano passado no mesmo período, ajudando assim o forte crescimento deste mês em 2019”.

Ao analisar o consumo por região, é possível perceber que o Sudeste segue com grande atuação no mercado, com 65,5% do total de vendas. Atrás, estão Sul e Nordeste, com 14,3% e 12,3%, respectivamente. Por último, o Centro-Oeste, com 5,8% das vendas, e a região Norte, totalizando 2,1%.

Na comparação por gênero, o público feminino segue comprando mais que o masculino. As mulheres concentraram 51,2% do total das compras, com 48,8% sendo realizadas pelos homens. Apesar de comprar menos, os homens tiveram um crescimento de 28% comparado ao mês de julho de 2018.

Analisando os consumidores por faixa etária, a maior parcela do total de vendas vem de usuários que possuem entre 36 e 50 anos, com 33,2% das compras. Logo atrás, estão as pessoas entre 26 e 35 anos, que tiveram share de 32,7% do total de pedidos.

O público mais jovem, até 25 anos, representou 19,7% do mercado no mês de julho. Apesar de estar em terceiro lugar, foi o grupo que mais cresceu de um ano para o outro: ao todo, o incremento foi de 29% em relação a julho do ano passado.

MAIS VENDIDAS - Em relação ao volume de compras, a categoria de Moda e Acessórios lidera, com 22,7% do total de pedidos realizados durante o mês. Beleza, Perfumaria e Saúde é o segmento que fica em segundo lugar, alcançando share de 13,8%. Em seguida, estão empatadas as categorias de Entretenimento e Artigos Para Casa, com 10,1%. Por último, o segmento de Móveis, Construção & Decoração está presente com 8,4%.

Já no âmbito do faturamento, a categoria mais rentável foi a de Eletrodomésticos e Ventilação: com 25,5% do total financeiro obtido no período. Moda e Acessórios, a líder em número de pedidos, é a segunda categoria que mais fatura, com 12,8%. Em terceiro lugar, está Telefonia, que representa 10,3%. Fechando a lista das cinco mais rentáveis, estão Entretenimento & Móveis e Construção & Decoração, com 10,2% e 9,5%, respectivamente.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:08 BOA DISSONANTE
18:07 Estado encerra parcelamento e paga folha dia 10
18:06 O censo, a mulher e o agro 4.0
18:05 Como funciona a contratação de temporários
18:05 Um olhar sobre o Brasil


18:04 A vida é a solução
18:03
18:03 Desperdícios na educação
18:02 Mais dia, menos dias
18:02 Governos municipais, estaduais e federal reduziram investimentos em cultura, indica IBGE
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018