Domingo, 15 de dezembro de 2019 Edição nº 15284 15/08/2019  










OPERAÇÃOAnterior | Índice | Próxima

Sesp investiga áudios de “salve” e familiares de presos protestam

Da Reportagem

Cerca de 200 familiares protestaram, ontem (14), em frente da Penitenciária Central do Estado (PCE), no Bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá, onde é realizada a operação deflagrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Já áudios passaram a circular pelas redes sociais apontando para a possibilidade de um novo “salve geral”, na capital. As mensagens começaram a circular na última terça-feira (14), após o início da operação na PCE.



A Sesp esclareceu ainda que os áudios de “salve” estão sendo analisados e os responsáveis por difundi-los serão acionados criminalmente. Uma das pessoas que difundiu a mensagem, Samuel de Souza Valdivino, foi preso em flagrante na terça-feira (13) às 15h30, em uma ação integrada das Polícias Civil (PC) e Militar (PM), no município de Lucas do Rio de Verde (360 quilômetros, ao médio-norte de Cuiabá). Ele responderá pelos crimes de tráfico de drogas e foi enquadrado no artigo 2º da Lei 12850/2013, por promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa, cuja a pena é de 3 a 8 anos reclusão, além de multa.



Em outro áudio, uma pessoa não identificada, afirma que um salve está chegando a qualquer momento. “Esta máquina opressora, cada dia mais oprimindo nossos irmãos. Toda a família CV (Comando Vermelho), principalmente, a de Mato Grosso”, diz. “Dentro da PCE, as coisas estão ficando loucas. O bagulho vai ficar louco na rua também. Peço atenção de todos. Quem não quiser cair, que se deite. Vai ter resposta. Só estamos esperando um aval da hierarquia maior. Assim que o aval chegar, peço a compreensão de todos”, completa.



A operação na PCE começou na terça-feira. Por lá, as visitas estão suspensas por cerca de uma semana. Apenas as escoltas emergenciais em caso de saúde serão realizadas. Os parentes, a maioria mulheres, carregavam cartazes com dizeres como “queremos água e luz” e “queremos respeito”. Eles também montaram uma comissão e pretendiam ainda ir à tarde até o Fórum Criminal para uma reunião com o juiz da Vara de Execuções Penais, Geraldo Fidelis, para tratar do assunto.



De acordo com a Sesp, é realizada uma revista geral na carceragem da PCE “com o objetivo de fortalecer as ações de enfrentamento a crimes que possam ser cometidos dentro da unidade penal, além de se antecipar a possíveis atos delituosos. A ideia é fazer uma revista minuciosa em todos os raios e celas da unidade prisional. “Serão verificadas também as condições estruturais da área da carceragem e feita a retirada de produtos que estão em desconformidade com o manual de procedimento operacional padrão do sistema penitenciário. Após a revista geral será iniciada a reforma nas celas dos raios 1,2,3 e 4”, informou.



Ainda, conforme a Sesp, a operação é conduzida pela equipe da direção da penitenciária e conta com apoio de servidores de outras unidades qualificados para atuação em recinto carcerário, como contenção e intervenção. “Nosso objetivo maior é garantir a segurança da unidade, de acordo com a legalidade devida, frustrando qualquer tentativa que possa afetar a segurança da unidade prisional e criar oportunidades de prática delituosa”, destacou por meio da assessoria, o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.



Também estão sendo realizadas mudanças nas celas, pinturas e retirada de produtos que estão em desconformidade com o manual de procedimento operacional padrão do sistema penitenciário. A secretaria garantiu também que não houve intercorrência nas atividades de revista e tampouco foram registradas agressões ou morte. Um balanço parcial do que foi retirado das celas será divulgado posteriormente.



A operação é realizada apenas na PCE não sendo estendida e nenhuma outra unidade no interior ou mesmo na capital. A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) informou que a Sesp garantiu que o atendimento à advocacia está mantido na PCE durante o período da operação de revista na unidade.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:07 MEC libera que cursos presenciais com conceitos mais baixos expandam carga horária à distância
17:07 STF prevê julgar no ano que vem permissão a candidatura avulsa
17:06 Conflitos e retrocessos marcam presença do Brasil na COP-25
17:05 14 – sábado Desigualdade e evasão escolar
17:05 BOA DISSONANTE


17:04 Doador de amor
17:03 Lei do retorno
17:03 Nossos demônios…
17:02 O Auditor Interno e o combate à corrupção
17:00 Na COP 25, MT defende tolerância zero ao desmatamento
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018