Quinta feira, 12 de dezembro de 2019 Edição nº 15351 19/11/2019  










Anterior | Índice | Próxima



Água no chope

Maior doador da campanha de Selma Arruda (Podemos), o milionário fazendeiro Gilberto Possamai (PSL) não esconde a frustração pelo fato de senadora ter desistido de se licenciar do Senado. Primeiro suplente, o bolsonarista já tinha até um discurso para a posse.



Na onda

Selma se licenciaria por quatro meses para concluir duas pós-graduações, mas decidiu permanecer, segundo alegou, para participar de votações importantes no Senado. A juíza aposentada é relatora do projeto de prisão em segunda instância e está crente na aprovação.



Devoção

A decisão de Selma frustra também a cúpula do PSL/MT, que teria em Possamai mais um devoto fiel de Bolsonaro no Congresso. O fazendeiro e sua família doaram R$ 1,4 milhão para a campanha da senadora – cerca de 80% do que a então candidata do PSL declarou ao TRE.



Coleira

Atuante nas redes sociais – muito mais, até, do que no Plenário da Câmara -, José Medeiros, agora, “fiscaliza” discursos de adversários para fazer a defesa fervorosa de Bolsonaro, no Twitter e no Facebook. Por isso, o deputado de MT ganhou o justo apelido de “cão de guarda”.



Verde

Em entrevista ao MidiaNews, o presidente da AL, Eduardo Botelho (DEM), sugeriu que o deputado federal Emanuel Neto (PTB), filho do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), ainda está, digamos, “verde” para disputar a Prefeitura de Várzea Grande. Acha que o colega tem que ganhar mais experiência.



Sonho

Na mesma entrevista em que disse que Emanuelzinho precisa “amadurecer”, Botelho revelou seu “sonho de menino”: ser prefeito da Cidade Industrial. Hoje, esse sonho se revela impossível: a família do deputado tem muitos negócios na cidade. Inclusive, com a Prefeitura.



Nem aí

Ministro o STF, Gilmar Mendes minimizou os protestos em várias capitais, domingo (18), pedindo o seu impeachment. À Globo News, GM disse que os atos foram impulsionados por robôs. “Isso é o mundo das fake news. Essa onda foi causada por 1,7 mil perfis; são robôs”, disse.



Vazio

Em Cuiabá, na tarde de domingo, manifestantes saíram em caravana, da Praça das Bandeiras em direção à Praça do Choppão, no ato contra o mato-grossense Gilmar Mendes. Um pequeno número de carros e motos no “desfile” fez barulho, mas não chamou a atenção, numa Cuiabá quase vazia.



Heil Hitler!

Com base em uma pesquisa da Unicamp, ontem, o site UOL revelou que o Brasil tem 334 células nazistas; a maioria, na Região Sudeste. Uma dessas células, segundo o estudo, foi localizada em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), a terceira cidade de Mato Grosso.



Racismo e terrorismo

Conforme a pesquisa, os grupos se dividem em até 17 movimentos, sendo hitleristas, supremacistas/separatistas, de negação do Holocausto e, até mesmo, três seções locais da Ku Klux Klan, o tristemente notório grupo racista de origem norte-americana.



................



“Virei a página”, diz Emanuel

“(...) Foi para a Saúde que decidi voltar a maior parte dos meus esforços. Tornou-se o assunto mais importante da minha gestão e para o qual dedico cerca de 70% do meu trabalho, enquanto prefeito (...). Trabalhamos incessantemente para virar a página, com qualidade e dando celeridade às filas de espera do SUS”. Do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), comemorando a inauguração do novo Pronto-Socorro de Cuiabá, em artigo publicado na mídia.

...............



Recado

Segundo EP, a abertura do HMC é “a maior obra em Saúde Pública que o Estado já recebeu”. “Mesmo com toda a torcida contra, que não foi pouca, conseguimos colocar em funcionamento”, disse, num recado direto ao governador Mauro Mendes (DEM), seu maior desafeto político.



Horrores

À falta do que fazer, vereadores de Várzea Grande aprovaram um projeto que visa a obrigar os pilotos a anunciarem que o pouso é feito na cidade, e não na Capital. O terminal é identificado como Aeroporto Internacional de Cuiabá/Várzea Grande. A Câmara de VG também promove seus horrores...

Inutilidade

Não se tem notícia de que o projeto, do vereador Rogério Martins (PV), de alguma forma irá mudar a vida dos várzea-grandenses. Em SP, o principal aeroporto fica na cidade de Garulhos; em Curitiba, em São José dos Pinhais. Nem por isso, paulistanos e curitibanos reclamam.

Visual

Com uma careca mais proeminente, o deputado Eduardo Botelho já se deixa fotografar, após procedimento para implante de cabelo. Segundo as informações, o presidente da Assembleia Legislativa gastou R$ 16 mil e até fez os cálculos: em dois meses, já estará cabeludo.



PCC é agro

O roubo de agrotóxico virou um dos maiores problemas de segurança em alguns estados. Como em MT, onde a Polícia Civil investiga a migração para essa atividade de assaltantes de bancos e grandes facções criminosas – entre elas, o Primeiro Comando da Capital (PCC).



Riscos

A suspeita é que algumas quadrilhas utilizam métodos sofisticados em suas ações, como drones para localizar agrotóxicos em fazendas. O roubo alimenta o caixa das quadrilhas e cria riscos sanitários à população, já que os produtos estão sujeitos à adulteração.



Sem Polícia

Em entrevista à BBC Brasil, o delegado Flávia Stringueta, chefe da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Civil de Mato Grosso, diz que o alto valor dos produtos e a menor presença policial em áreas rurais explicam o interesse das quadrilhas.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




08:39 Maggi diz que vai se desfiliar para evitar especulações
18:21 Estado encerra parcelamento e paga folha dia 10
18:21 BOA DISSONANTE
18:20 Sabedoria ibérica
18:19 Uma “Honoris Causa” e um notório saber


18:19 A vilã não é a carne
18:18 Desenvolvimento humano estagnado
18:18 Mal necessário
18:17 A gente teve melhorias, diz Taís Araújo 10 anos após ser 1ª negra protagonista
18:17 Artistas estreiam mais uma edição da Mostra de Cenas
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018