Domingo, 15 de dezembro de 2019 Edição nº 15360 03/12/2019  










Anterior | Índice | Próxima

Combate ao custo Brasil

SÆo estarrecedoras as conclusäes do estudo conjunto entre o Minist‚rio da Economia e o Movimento Brasil Competitivo (MBC), apresentado na quinta-feira, que desnuda o quanto as empresas instaladas no pa¡s sÆo oneradas a mais em rela‡Æo … m‚dia das na‡äes da Organiza‡Æo para a Coopera‡Æo e o Desenvolvimento Econ“mico (OCDE). Burocracia, emaranhado tribut rio, inseguran‡a jur¡dica, infraestrutura prec ria, capital humano e v rios outros entraves encarecem os neg¢cios em astron“micos R$ 1,5 trilhÆo, conclui o levantamento. Se a proje‡Æo for correta, seria equivalente a 22% do PIB.  o famigerado custo Brasil, agora na ponta do l pis.

Nota-se que nÆo sÆo … toa as recorrentes queixas de empres rios quanto ao ambiente in¢spito para empreender e investir no Brasil. Nem surpreendem as posi‡äes brasileiras reiteradamente vexat¢rias em rankings globais de competitividade. O resultado aparece nos n¡veis med¡ocres de crescimento da economia. Com a realidade escancarada e esmiu‡ada em n£meros, ‚ inadi vel agir para come‡ar a suplantar a montanha de obst culos.

A partir do diagn¢stico feito pelo estudo, o governo federal promete colocar em pr tica o chamado Programa de Melhoria Cont¡nua da Competitividade. Os compromissos incluem at‚ a cria‡Æo de uma plataforma com acesso franco para que se possa acompanhar a evolu‡Æo dos 12 indicadores avaliados. Talvez uma das prioridades, pelo assombro das cifras, seja o de capital humano. Mostra o estudo que empregar, no Brasil, pode custar at‚ R$ 320 bilhäes a mais do que a m‚dia da OCDE. Al‚m dos altos custos de contrata‡Æo e dos riscos relacionados a processos trabalhistas, o Brasil est atrasado demais na produtividade da mÆo de obra. A qualifica‡Æo s¢ evoluir com um esfor‡o imenso na educa‡Æo, desde o ensino b sico. Sem uma base que amplie a capacidade dos brasileiros de adquirir novas habilidades, o pa¡s seguir condenado … segunda divisÆo do desenvolvimento global, permanecendo apenas como um importante fornecedor de produtos b sicos.

Mesmo que se lamente o ritmo aqu‚m do desejado, o pa¡s discute importantes reformas estruturais. Mas ‚ preciso muito mais para elevar a competitividade brasileira. Enquanto marcamos passo, outros pa¡ses aceleram na infraestrutura, no ensino e na arquitetura de ambientes favor veis aos neg¢cios.  com esta turma do primeiro pelotÆo que o Brasil precisa ombrear. Caso contr rio, corremos o risco de continuar sendo o pa¡s que eternamente aguarda o futuro.  preciso arrega‡ar as mangas e colocar o Brasil em nova marcha, antes que seja tarde demais.



Enquanto marcamos passo, outros pa¡ses aceleram na infraestrutura, no ensino e na arquitetura de ambientes favor veis aos neg¢cios



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:07 MEC libera que cursos presenciais com conceitos mais baixos expandam carga horária à distância
17:07 STF prevê julgar no ano que vem permissão a candidatura avulsa
17:06 Conflitos e retrocessos marcam presença do Brasil na COP-25
17:05 14 – sábado Desigualdade e evasão escolar
17:05 BOA DISSONANTE


17:04 Doador de amor
17:03 Lei do retorno
17:03 Nossos demônios…
17:02 O Auditor Interno e o combate à corrupção
17:00 Na COP 25, MT defende tolerância zero ao desmatamento
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018