Sexta feira, 24 de janeiro de 2020 Edição nº 15367 12/12/2019  










TEATROAnterior | Índice | Próxima

Artistas estreiam mais uma edição da Mostra de Cenas

Durante os dias 16 e 17 de dezembro, os grupos sobem ao palco do Cine Teatro Cuiabá

Da Reportagem

Estudantes e artistas da MT Escola de Teatro finalizam 2019 com mais uma edição Mostra de Cenas. Durante os dias 16 e 17 de dezembro, os grupos sobem ao palco do Cine Teatro Cuiabá, apresentando três peças inspiradas nas conseqüências vivenciadas pelos povos afetados por regimes de segregação social. Os espetáculos começam às 19h30, e a entrada é gratuita.

Esta é a sexta edição da Mostra de Cenas, que é realizada pelos estudantes do curso superior tecnológico em teatro. A ação tem o objetivo de proporcionar aos alunos uma experiência prática dos conhecimentos técnicos adquiridos em sala de aula.

“Enquanto prática artística, o teatro é capaz de gerar experiências que ampliam horizontes, discutem temas urgentes, constroem pontes, proporcionam o riso, a emoção, o divertimento. E também é fonte de renda, movimenta a economia e está presente no cotidiano das comunidades. Sendo assim, é papel do Estado fomentar e construir possibilidades de estruturação do setor. E uma política pública que pensa o desenvolvimento das artes tem que partir de uma ação basilar nesta tarefa, que é a formação, neste caso, realizada pela MT Escola de Teatro”, destaca o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec Benitez.

Nos dois dias de programação, os grupos apresentam três peças com duração de vinte minutos cada uma. Os espetáculos se baseiam no conceito da Necropolítica, uma expressão utilizada pelo cientista político Achille Mbembe para designar como políticas públicas ou ações estatais podem implicar na negação de direitos, marginalização e até mesmo na morte de determinados grupos sociais. Para compor os espetáculos, os artistas pesquisaram notícias atuais relacionadas ao tema.

A programação começa com a peça ‘A cerca de nós’, uma história de luta que se passa em um hospital público onde os rivais feridos de um conflito agrário são obrigados a dialogar e expor seus respectivos pontos de vista sobre as questões que os levaram ao embate.

Em seguida, será encenada ‘Desafinar o coro dos contentes’, que trata das relações cotidianas entre empregados e empregadores, sob a ótica das desigualdades sociais existentes entre as diferentes classes. O espetáculo de encerramento será ‘Necron’, que remete a uma sociedade do futuro onde o Estado controla o uso de armas letais, e a população é dividida entre conservadores e libertários.

A MT Escola de Teatro é resultado da parceria entre Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), a Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap) e a Associação Cultural Cena Onze.

“Realizada por meio de uma parceria público-privada, é um projeto de muito sucesso, que tem transformado profundamente a realidade da rede produtiva das artes cênicas de Mato Grosso. Nunca antes vimos tantos profissionais atuando, realizando seus espetáculos, produzindo, formando público, construindo projetos, sendo vistos e emocionando tantas platéias”, complementa o secretário.

Esta é a segunda turma da MT Escola de Teatro, que formou 33 artistas no final de 2018, que hoje atuam profissionalmente nas áreas de teatro, cinema e televisão. Único curso tecnológico superior de Teatro de Mato Grosso, a graduação oferece ênfase nas áreas Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Iluminação, Sonoplastia e Produção Cultural. Ao todo, são 60 alunos no curso superior, cuja proposta pedagógica leva a assinatura de Ivam Cabral (diretor executivo da SP Escola de Teatro) e Rodolfo García Vázquez (coordenador de direção).



Confira o resumo e ficha técnica das peças

A cerca de nós. A peça se passa em um hospital público no interior de Mato Grosso. O local está abarrotado de feridos, divididos entre campesinos e indígenas. Estes dois grupos protagonizaram um conflito agrário na região, e é justamente por isso que estas pessoas estão hospitalizadas. Neste contexto, impedidos de continuar o confronto fisicamente, são obrigados a dialogar e expor seus respectivos pontos de vista acerca das questões que os levaram ao embate.

Atuação: André Souza, Andreel Ferreira, Dicélia Correa, Duda Dal Bello, Elvis Dourado, Vinicius Amorim, Waltair França. Cenografia e Figurino: Bruno Brun, Liah Bischoff. Direção: Benone Lopes, Nariel Iatskiu. Dramaturgia: Sérvulo Neuberger, Tulio Paniago. Iluminação: Anna Maria Moura, Xico Macedo. Produção: José Junior Franco. Sonoplastia: Daniel Viegas, Débora Veiga, Edilson Souza.



Desafinar o coro dos contentes. Em qualquer país, em um município qualquer, pessoas enriquecem, fazem maracutaias, divertem-se ou sofrem. A classe social a que pertence diz sobre suas possibilidades. Brechta nos apresentará a essas distintas classes e veremos como o tempo passa para essas mesmas distintas classes. Será que trama o estado a morte de alguém? Será que alguém trama a morte do estado?

Atuação: André Ferreira de Oliveira, Dagmar Donatello, Ismael Diniz, Jonathan Nery, Maykon Matheus, Sarah Emily, Thais Falca. Cenografia e Figurino: Naiane Gonçalves, Luiz Carlos Ribeiro. Direção: Eliane Fonseca, Rafael Cerigato, Jean Pablo Loti. Dramaturgia: Glaubber Lauria. Iluminação: Alexandre Cruz, Raylla Campos. Produção: Gustavo Teixeira, Nadyne Marques. Sonoplastia: Marcio Albino, Pedro Trauer.



Necron. Com escassez da pólvora, a humanidade agora vive em Necron, lugar onde o Estado controla o uso da arma letal e que todo cidadão dispõe o direito da lei da delação. No mesmo território, a população foi dividida em duas castas: os libertários Margins e os conservadoristas Evolui. Nessa aparente tranqüilidade, diante das armas, as leis se calam e qualquer corpo é alvo.

Atuação: Ézero Obalhe, Fabíola Karen, Jone Sayd, Lucas Layon e Wender Almeida. Cenografia e Figurino: Débora Cometti e Róbson Oliveira. Direção: Clodoaldo Arruda. Dramaturgia: Susuca. Iluminação: Lívia Viana e Sebastian Dantas. Produção: Elis Correia e Ronaldo José. Sonoplastia: Carlos Awire e Roque Almeida.



Serviço

A MT Escola de Teatro funciona no Cine Teatro Cuiabá, que é um dos equipamentos culturais da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). Está localizado na Avenida Presidente Getúlio Várgas, 247, Centro de Cuiabá. A entrada é gratuita. Mas pessoas interessadas em contribuir com a MT Escola de Teatro podem doar R$ 5 pelo ingresso. Mais informações sobre a Mostra de Cenas: (65) 99601-1817 / 2129-3848.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:15 Embelezar Cuiabá
17:15 BOA DISSONANTE
17:14 O sabor da volta às aulas
17:14 Uso nocivo de álcool e outras drogas
17:14 Entre as lentes da alma e do celular


17:13 Alerta para o novo vírus
17:12 Novo álbum dos Mutantes tem pegada setentista e pouco remete à banda original
17:12
17:10 Bom sucesso: Provavelmente a novela não teria causado a mesma empatia um ano atrás, diz autor
17:09 Antonio Fagundes sobre Regina Duarte: Torço para que não saia queimada
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018