Terça feira, 25 de fevereiro de 2020 Edição nº 15390 18/01/2020  










NOVOS AMIGOSAnterior | Índice | Próxima

Wilson Santos próximo da base de Mauro Mendes

Deputado, que sempre foi rival político de Mauro Mendes, estuda convite do governo para ingressar na base aliada

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) está avaliando o convite feito pelo governador Mauro Mendes (DEM), para ingressar na base aliada do governo. Embora esteja na oposição, Wilson atua de maneira independente e tem votado a favor do governo em matérias que ele considera importantes ao Estado e à população.

Em entrevista ao Programa Resumo do Dia, na TV Brasil Oeste, Wilson confirmou o convite feito, mas antes de decidir, contou que precisa conversar com companheiros do partido e ouvir as bases. “No último dia 9 o governador externou o desejo de nós ter em sua base de sustentação aqui na Assembleia. Então, foi feito o convite que depois foi ratificado pelo secretário Mauro Carvalho [chefe da Casa Civil]. Então, houve, sim, o convite”, afirmou.

Wilson ressaltou que não faz política sozinho. Por isso, a necessidade de avaliar bem o convite. Ele precisa conversar com sua base, com os companheiros de partido que, para ele, são os responsáveis pela presença dele no parlamento estadual. “É uma situação importante, que não pode ser decidida a queima roupa”, analisou.

Dentre os companheiros com quem Wilson Santos precisa conversar está o presidente estadual do PSDB, Paulo Borges, que durante sua gestão como prefeito de Cuiabá foi secretário e também exerceu a função de líder de seu governo na Câmara Municipal. Ele também vai conversar com seu colega de partido, o deputado estadual Carlos Avalone, que já faz parte da base do governo, e também com o ex-deputado federal Nilson Leitão. “Os companheiros de gabinete, os bairros, os municípios, prefeitos, vereadores. Então, nós precisamos de um tempo pra ouvir a companheirada”.

Independentemente da posição que venha a tomar, Wilson Santos enfatizou que ao longo do último ano votou na Assembleia Legislativas matérias contra e a favor do governo. Ele citou que votou contra a majoração das taxa do Detran-MT (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso), contra a minirreforma tributaria no mês de julho do ano passado, que já está apresentando seus efeitos, segundo ele. Porém, Wilson destaca que votou a favor da taxação do agronegócio, por entender que quem ganha mais, quem fatura mais, tem que contribuir mais com o Estado.

“Votei também a favor da reforma administrativa que extinguiu secretarias, extinguiu autarquias diminuindo gastos internos do governo pra sobrar mais dinheiro para o cidadão. Votei também a favor da Lei de Responsabilidade Fiscal estadual, sou a favor, e agora votei e vou votar de novo na segunda etapa da reforma da previdência”, afirmou.

Ao relatar a maneira como tem se comportando em relação à votação dos projetos do governo, Wilson disse que sua postura dentro do parlamento estadual tem sido de equilíbrio. Entretanto, sua atuação, em sua avaliação, passa longe do radicalismo. ”Aquilo que eu entendo que favorece o Estado de Mato Grosso, a sociedade, tem tido o meu voto. Aquilo que eu entendo que precisa de ajuste, de correção, de emenda, eu tenho me manifestado também a favor destas correções. E aquilo que eu acho que não é legal, não é benéfico pra sociedade, eu tenho votado contra. Então tem sido esta a minha postura”.

Outro ponto destacado por Wilson, é que em todos os seus atos tem colocado os interesses de Mato Grosso e da sociedade acima de qualquer outro interesse, inclusive, o seu. “Nunca pedi nada ao governador de ordem pessoal, familiar. Nunca pedi absolutamente nada de ordem partidária. Tenho votado aqui sempre colocando os interesses do Estado e da sociedade acima de quaisquer outros interesses”, concluiu.

RIVAIS ANTIGOS - Mauro Mendes e Wilson Santos sempre atuaram em campos opostos na política estadual e podem pela primeira vez "falar a mesma língua". Em 2008, quando o atual governador "estreou" na política concorrendo à prefeitura de Cuiabá, travou uma disputa ferrenha com o tucano, que a época tentou, e conseguiu, a reeleição.

Em 2010, os dois também se enfrentaram na disputa ao Governo do Estado. Ambos foram derrotados pelo então governador Silval Barbosa (MDB), que venceu no 1º turno.

Já em 2016, Wilson entrou na disputa a prefeitura de Cuiabá após Mauro Mendes recuar de tentar a reeleição às vésperas do prazo final para as convenções partidárias. Ele até tentou obter apoio do atual governador, que se manteve longe do processo eleitoral e não subiu no palanque do tucano.

Já em 2018, Wilson foi um dos principais aliados de Pedro Taques (PSDB), derrotado por Mauro. Ele iniciou a legislatura fazendo oposição ao chefe do Executivo e criticou diversos projetos tocados pela atual gestão. Por exemplo, foi contra a renegociação da dívida do Estado com o Banco Mundial e se mostrou um crítico ao projeto Cota Zero, que restringe a pesca no Estado pelos próximos 5 anos.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




16:30 Abilio pode ser o segundo vereador a ser cassado por quebra de decoro
16:30 Jeferson Schneider diminui delação de Silval e critica MP
16:29 BOA DISSONANTE
16:28 Alcolumbre anuncia apoio a Julio Campos
16:27 Campanha da Fraternidade - 2020


16:27 Em defesa de quem cria
16:27 Não é não, especialmente no Carnaval
16:26 Trânsito
16:25
16:25 Um futuro para o trabalho
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018