Segunda feira, 24 de fevereiro de 2020 Edição nº 15410 15/02/2020  










EXTERMÍNIOAnterior | Índice | Próxima

Mais um ex-presidiário é executado com tiros na cabeça; Polícia evita falar em grupo de extermínio

Téo Gomes
Da Reportagem

Mais um jovem ex-presidiário em liberdade condicional com uso de tornozeleira eletrônica é executado com muitos tiros, a maioria na cabeça. "Foi uma execução", afirmou um policial. A vítima foi identificada pela Polícia Militar (PM) como Elimárcio Júnior Rosa Dias, de 19 anos. As eliminações de pessoas com passagens pela Polícia este ano já chega a 22 ex-presidiários, a maioria vítima de "acertos de contas", "queimas de arquivo" ou vingança. A Polícia ainda evita falar em grupos de extermínio, mas também não desmente.

O crime que matou o jovem ex-presidiário, segundo a Polícia Militar aconteceu no no final da noite desta quinta-feira, 13, com início da madrugada desta sexta-feira, 14, no Jardim Rondônia, na cidade de Rondonópolis (Sul, a 220 quilômetros de Cuiabá). Rosa Dias, segundo a PM, levou ao menos dois tiros na cabeça e outros pelo resto do corpo e morreu na hora. A reportagem do Diário questionou um policial sem identifica-lo sobre a ação e um grupo de extermínio, mas ele desconversou.

Mais uma vez a PM não encontrou respostas que pudessem ajudar os policiais militares a identificarem e prenderam ainda em flagrante os autores do crime. Populares, como na maioria dos casos, não viram nada, apenas escutaram os tiros. Ou seja, adotaram a "lei do silencio".

Depois dos tiros, as pessoas contam que correram para o local, mas já encontraram o rapaz caído ao solo e sangrando muito. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas os paramédicos só tiveram tempo de constatar que o rapaz baleado várias vezes já estava em óbito.

Técnicos da Perícia Oficial do Estado (Politec) realizaram as análises preliminares de local de crime, e o corpo de Rosa Dias foi liberado por policiais da Delegacia de Homicídio e Proteção á Pessoa (DHPP) de Rondonópolis para o Instituto Médico Legal (IML) local. Até o momento ninguém foi preso. A Polícia ainda vai apurar os motivos do crime.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




16:30 Abilio pode ser o segundo vereador a ser cassado por quebra de decoro
16:30 Jeferson Schneider diminui delação de Silval e critica MP
16:29 BOA DISSONANTE
16:28 Alcolumbre anuncia apoio a Julio Campos
16:27 Campanha da Fraternidade - 2020


16:27 Em defesa de quem cria
16:27 Não é não, especialmente no Carnaval
16:26 Trânsito
16:25
16:25 Um futuro para o trabalho
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018