NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020
ECONOMIA
Quinta-feira, 11 de Abril de 2019, 09h:12

COMBUSTÍVEIS

Bimestre registra consumo recorde em Mato Grosso

Ganho foi sustentado pelo avanço na comercialização de etanol e diesel, matrizes que também acumulam volumes históricos para os primeiros dois meses do ano

MARIANNA PERES
Da Reportagem
As vendas de combustíveis, em Mato Grosso, encerraram o primeiro bimestre do ano em alta, totalizando 811,29 milhões de litros. O volume de comercialização é um forte indicador sobre o consumo no período e revela mais do que apetite do mercado, mostra que a movimentação das principais matrizes – etanol hidratado, gasolina C e óleo diesel – foi recorde na série histórica sobre a comercialização no Estado. A demanda elevada esteve sustentada pelo etanol hidratado e pelo óleo diesel, matrizes que também tiveram volumes recordes. Os dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) apontam que o volume comercializado entre janeiro e fevereiro supera em 8,4% o totalizado em igual intervalo do ano passado, quando o saldo foi de 748,49 milhões de litros. Em janeiro, foram comercializados 408,39 milhões de litros de combustíveis, no Estado. Em fevereiro, outros 402,90 milhões de litros. O etanol hidratado foi o combustível com maior ascensão no período, crescimento anual de 14,5%, o que faz dos mais de 149,45 milhões de litros consumidos no primeiro bimestre, volume histórico dentro da série que acompanha o comportamento das vendas no período. No ano passado, janeiro e fevereiro totalizaram vendas de 130.48 milhões de litros. O consumo de janeiro, em 76,15 milhões de litros e em fevereiro, 73,30 milhões. Na avaliação mensal, os volumes são históricos desde 2.000. O preço de bomba para o bicombustível segue sendo o grande responsável pelos resultados crescentes. Fevereiro teve a menor média de preços desde 2016. Conforme levantamento da ANP, em 2019 foi de R$ 2,54 por litro, em 2018 de R$ 2,56, em 2017 de R$ 2,72 e em 2016 de R$ 2,72. CONSUMO – O óleo diesel foi outra matriz com saldo positivo no período. Entre janeiro e fevereiro foram 534,85 milhões de litros comercializados, 9,4% acima dos 488,84 milhões de litros contabilizados no primeiro bimestre do ano passado. Na percepção mensal, as vendas também são históricas, com mais de 266,34 milhões de litros em janeiro e outros 268,51 milhões de litros em fevereiro. Na outra ponta, com os menores volumes já consumidos no Estado, desde 2012, está a gasolina C. No primeiro bimestre foram 77,96 milhões de litros, -6,8% abaixo dos 86,64 milhões de litros contabilizados em igual momento do ano passado. No mês a mês, janeiro registrou 40,24 milhões de litros e 37,72 milhões de litros em fevereiro. No país, o consumo cresceu 4,8%. Foram 22,03 bilhões de litros ante 21,02 bilhões de litros no primeiro bimestre de 2018. O maior destaque vai para as vendas do etanol, 37% maiores na comparação com igual momento do ano passado, somando 3,58 bilhões de litros consumidos. O segundo maior destaque – pelo peso das vendas no share brasileiro – é o óleo diesel, com volume anual 6,2% maior, com 8,77 bilhões de litros comercializados. Os dados referentes ao primeiro bimestre desse ano são os mais recentes publicados pela ANP. O trimestre será divulgado no final desse mês.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL