NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 11 de Julho de 2020
ECONOMIA
Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2019, 17h:12

SOJA 2018/19

Colheita já aponta para perdas de produtividade

Primeiros reportes do campo mostram os impactos do clima na reta final do desenvolvimento da oleaginosa

MARIANNA PERES
Da Reportagem
O recuo na produtividade inicial da soja 2018/19, em Mato Grosso, foi observado pelos técnicos do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) . Na última segunda-feira, o órgão divulgou o primeiro Boletim da Soja do ano, no qual a produtividade – em recuo – é o destaque. Conforme as avaliações há uma perda pontual de 1,3% em relação ao mesmo período de colheita do ano passado. “Para estas áreas iniciais foi possível observar o impacto da falta de luminosidade e chuva em determinadas regiões durante o mês de dezembro, no entanto, ainda é cedo para se afirmar como será o fechamento da safra, visto que a colheita está apenas no início e parte das lavouras ainda está em fase de desenvolvimento”, explicam os analistas. Como esperado, a colheita de soja ganhou ritmo acelerado em Mato Grosso, a partir de meados de janeiro. Até o final da semana passada os trabalhos havia atingindo 5,62% da área estimada em 9,61 milhões de hectares. “Neste momento, apesar das chuvas, os trabalhos a campo apresentam um adiantamento de 4,33 pontos percentuais (p.p.) se comparado com o mesmo período do ano passado, quando a colheita registrava média de 1,29%. O Imea não atualizou ainda as previsões para a safra atual. Conforme projeção de outubro de 2018 – a segunda feita pelo órgão – a área plantada deve se firmar 1,64% acima do que foi concretizado no ciclo anterior, o que equivalente a 155,35 mil hectares a mais que em 2018. Esse aumento deve se centrar nas regiões norte (+8,54%), noroeste (+4,39%) e nordeste (+2,01%). “Essa retomada no crescimento da área semeada é principalmente, reflexo da valorização da oleaginosa brasileira, pautada no aumento da demanda internacional”, argumentam os analistas. Para o rendimento por hectare, o Imea projetou média de média de 56,23 sacas por hectare na safra 2018/19 indicando um recuo de 1,83% em relação à produtividade recorde consolidada na safra 2017/18. “Assim, com a manutenção da produtividade e o aumento na área cultivada, a produção para a próxima temporada está estimada em 32,45 milhões de toneladas, representando um recuo de 0,22% ou 70,83 mil toneladas em relação à safra 2017/18”. DISTINTAS - As vendas da safra 2017/18 de soja em dezembro seguiram num ritmo lento. Até o momento, 99,66% já foram comercializados, registrando um pequeno avanço mensal de 0,95 p.p. “Isso se deve, principalmente, ao foco dos players na nova safra, que neste momento concentra mais atenção. Já para a safra 2018/19, o avanço apresentou maior fluidez, com 5,29 p.p. e um acumulado de 46,62% do total da produção estimada. De maneira geral, as regiões que apresentam o maior percentual negociado até o momento são a centro-sul e a noroeste, com 56,21% e 53,14% comercializados, respectivamente”, apontam os analistas do Imea. Por outro lado, a sudeste apresenta o menor percentual até o momento, com 37,76% negociados. Com o início da colheita de soja no Estado, é esperado que o ritmo se mantenha em bons patamares nas negociações para a nova safra e, assim, a expectativa é que as negociações fluam com a entrada de produto no mercado disponível.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL