NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 09 de Agosto de 2020
ECONOMIA
Sexta-feira, 29 de Junho de 2018, 17h:56

COMÉRCIO

Estado perde participação no Centro-Oeste

Número de empresas comerciais de Mato Grosso caiu 3% em 2016 na comparação com 2015. Dados divulgados ontem pelo IBGE, levantados por meio da Pesquisa Anual do Comércio, mostram que os estabelecimentos passaram de 26.689 para 25.868. A participação regional somou 20,52%. O maior volume, mais de 62 mil, se concentrou em Goiás. No país, a pesquisa contabilizou 1,54 milhão de empresas comerciais. Em Mato Grosso, das mais 28 mil empresas, a maior parte integra o comércio varejista, com 18.494 estabelecimentos. A queda sobre o número de empresas no Estado não impactou negativamente sobre o salário médio real desse segmento. Nesse indicador, Mato Grosso supera a média nacional, de R$ 1.647 em 2016, e, apresenta o melhor salário do Centro-Oeste, R$ 1.759. Na região, a segunda melhor média real daquele ano foi em Mato Grosso do Sul, com R$ 1.602. Ainda avaliando os dados sobre a remuneração média real paga, o comércio por atacado foi o que melhor remunerou com média real de R$ 2.714. BRASIL – Em 2016, o Sudeste prevaleceu nas principais variáveis, com 49,6% das unidades locais, 51,8% do pessoal ocupado, 51,3% da receita bruta de revenda e 55,7% da massa salarial. A região também registrou o maior salário médio mensal (2,1 salários mínimos). (MP)

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL