NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
ECONOMIA
Quinta-feira, 02 de Julho de 2020, 00h:00

MATO-GROSSENSES

Hábitos de consumo sofrem impactos com a pandemia

Da Reportagem

Os hábitos de consumo das pessoas estão sendo impactados devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), como é o caso de alimentos frescos e também na permanência dos consumidores nos estabelecimentos. Segundo pesquisa realizada pela PMA (Produce Marketing Association), 58% dos 500 entrevistados no Brasil, entre 26 e 29 de maio, estão comprando mais vegetais frescos e 56% levando mais frutas.

O que mudou foi a preocupação com a segurança e a limpeza desses produtos. Nada menos do que 79% dos entrevistados manifestaram que alimento seguro faz a diferença no ato da compra e 54% preferem levar produtos embalados.

Outra mudança perceptível nos hábitos de consumo refere-se à redução da frequência das idas aos supermercados e varejistas, porém, com aumento da quantidade de produtos levados. A procura por produtos de higiene pessoal e de limpeza também obteve crescimento no período. A constatação é do gerente regional do Fort Atacadista em Mato Grosso, Gustavo Desidério.

"Os enxaguantes bucais e sabonetes antibacterianos são muito procurados, além do álcool gel e produtos de limpeza como os desinfetantes, que também tiveram crescimento perceptível nas compras dos clientes", observou.

Ele lembrou ainda que os consumidores preocupam-se com a escassez dos produtos e acabam comprando quantidades em caixas e fardos, apesar de não haver justificativa para essa preocupação. "Percebemos que os clientes têm optado pelas compras em grandes quantidades, caixas fechadas de produtos e com mais rapidez na hora de realizar as compras, ou seja, estão indo com menos frequência aos supermercados, mas comprando mais", analisou Desidério.

Para ele, isso ocorre, principalmente, por causa da incerteza do momento, com medidas de fechamento sendo alteradas várias vezes pelo Poder Público. "Mas os supermercados são serviços essenciais e não fecham, então as pessoas podem ficar tranquilas e adquirir seus produtos com tranquilidade", concluiu.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL