NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
ECONOMIA
Sábado, 11 de Julho de 2020, 11h:05

DA PORTEIRA PRA DENTRO

Soja responde por 40% da receita de MT e deve faturar R$ 50 bi

Estado segue liderando ranking pelo terceiro ano seguido e supera em 14% recorde do ano anterior

MARIANNA PERES
Da Reportagem
Divulgação
O mercado brasileiro de soja tem apresentado distorção nos preços e escassos negócios

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020 – considerando as atividades agrícolas e pecuárias - em Mato Grosso deve somar em 2020, R$ 125 bilhões, valor que, além de recorde, sustenta o Estado na liderança nacional com a maior receita do campo pelo terceiro ano seguido.

Quarenta por cento do total da receita estadual está assegurada pela soja, que sozinha deve faturar, neste ano, inéditos R$ 50 bilhões.

Se os números divulgados ontem pelo Departamento de Crédito e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, se confirmarem, Mato Grosso, que é o maior produtor nacional de grãos e fibras, irá responder por 17% do VBP total do País, avaliado em R$ 716,6 bilhões, 8,8% acima do obtido em 2019 (R$ 658,8 bilhões).

Em 2019, o VBP mato-grossense somou R$ 106,39 bilhões. Na comparação anual há um avanço de cerca de 18%.

Dos R$ 125 bilhões projetados à receita agropecuária de Mato Grosso, R$ 102,28 bilhões virão das lavouras – destaque para alta no VBP da soja que passa de R$ 39,40 bilhões no ano passado para inéditos R$ 50,10 bilhões em 2020o algodão, milho e soja – e outros R$ 23,18 bilhões das atividades da pecuária, onde o destaque é a bovinocultura com projeção de R$ 18,18 bilhões.

De acordo com o Ministério, o valor das lavouras brasileiras cresceu 11,6% e o da pecuária, 3,4%. O aumento do valor das lavouras deve-se principalmente aos desempenhos de arroz (12%), soja (19,8%), milho (13,7%), café (39,3%) e laranja (9,8%).

O ranking nacional é composto pelos seguintes estados: Mato Grosso liderando o ranking com 17,5% do valor, seguido do Paraná (12,8%), São Paulo (12,7%), Minas Gerais (10,7%) e Goiás (8%).

Estes cinco produtos vêm puxando o faturamento das lavouras, segundo o estudo do Departamento de Crédito e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“O milho e a soja obtiveram valores recordes ao longo da série histórica desde 1989: R$ 76,1 bilhões e R$ 173,5 bilhões, respectivamente”, aponta o coordenador da pesquisa, José Garcia Gasques. Na pecuária, o crescimento vem sendo estimulado pela carne bovina (11,8%), carne suína (5,6%) e ovos (15,5%).

Outros produtos têm apresentado bom desempenho, como amendoim, cacau, cana-de-açúcar, feijão e trigo. Desempenho pouco favorável é observado nas culturas de algodão herbáceo, banana, batata inglesa, mamona, tomate e uva.

“Além dos resultados favoráveis da safra de grãos deste ano, que segundo a Conab está prevista em 251,4 milhões de toneladas, os preços agrícolas também são um fator importante na garantia dos resultados que vêm sendo observados”, explica Gasques.

A pecuária tem sido beneficiada pelas boas condições do mercado internacional. De janeiro a junho deste ano, as exportações de carnes, bovina, suína e frango geraram uma receita de U$ 8 bilhões (Agrostat, 2020). O valor das exportações de carne bovina foi de U$ 3,927 bilhões, carne suína, U$ 1,07 bilhão, e carne de frango, U$ 3,09 bilhões. Nesse período, as exportações de soja geraram U$ 23,928 bilhões.

INDICADOR - O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) é um indicador de desempenho da agropecuária.

É considerado também um indicador do faturamento. Com atualizações mensais, seu cálculo é efetuado para os estados e regiões brasileiras, com dados de 21 produtos de lavouras e cinco atividades da pecuária.

O VBP é obtido pela multiplicação da quantidade produzida pelo preço recebido pelo produtor.

Como as estimativas de safras divulgadas mensalmente referem-se à previsão para o ano, a estimativa do VBP também é anual. Na pecuária, como as informações do IBGE são trimestrais, a cada três meses, são atualizadas as informações de quantidades.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL