NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 03 de Julho de 2020
ESPORTES
Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2019, 17h:56

CAMPEONATO PAULISTA

Com VAR a partir das quartas, Paulista começa em paz

Depois de toda a confusão criada na grande decisão do ano passado, o Campeonato Paulista está de volta com os ânimos menos acirrados. O técnico Felipão afirmou que o caneco do Estadual é a primeira meta do forte Palmeiras, depois de o presidente Maurício Galiotte, revoltado com possível interferência externa, ter rebaixado o Paulistão a "Paulistinha". Atual bicampeão, o Corinthians busca o tri estadual que não vem desde 1939. O São Paulo mais uma vez terá a missão de encerrar o mais longo jejum entre os grandes do Estado: não fatura o Estadual desde 2005. Com reforços de peso, como Hernanes e Pablo, a torcida vê o time com boas chances. Já o Santos, do técnico Sampaoli, demora a contratar e terá de provar que não é a quarta força. A camisa do maior finalista do Estadual dos últimos tempos pesa. Já os clubes do interior tentarão surpreender. Afinal, começar o semestre com a taça não fará mal a ninguém. encer o Campeonato Paulista é a primeira missão do supertime do Palmeiras em 2019. Para isso, a equipe chefiada pelo técnico Luiz Felipe Scolari promete entrar com força máxima em campo e deixar as mágoas em relação ao polêmico torneio do ano passado para trás. Na ocasião, o presidente do clube, Maurício Galiotte, chegou a chamar o Estadual de "Paulistinha", após perder a final para o rival Corinthians, partida em que os palmeirenses reclamaram de uma interferência externa depois de o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza voltar atrás no pênalti marcado de Ralf em Dudu. Águas passadas, agora, com Felipão no comando, a competição é bastante valorizada, principalmente, pelo fato de começar bem a temporada em busca de voos maiores no decorrer dela. A estreia está marcada para domingo, contra o Red Bull, às 19h, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. E, mesmo que o clube tenha rompido com a Federação Paulista recentemente, Felipão garante que vai usar o que tem de melhor em todas as partidas do torneio, também por consideração ao torcedor palmeirense, que deve continuar lotando o Allianz Parque e marcando presença nos jogos realizados no interior do estado. "O primeiro objetivo é o Paulista. Mesmo que o Palmeiras tenha algum problema com a Federação, não vou discutir. Temos o Paulista para jogar e ganhar o título. Para quem ganha é muito bom", disse o comandante. Apesar de ser um treinador multicampeão, com um currículo invejável, o gaúcho ainda não arrematou o Paulistão. Com o elenco que tem à disposição, o Palmeiras é considerado o favorito a ficar com o caneco este ano, e vai entrar em campo com sangue nos olhos em busca de seu 23º título paulista. onquistar um tricampeonato paulista é um feito que poucas equipes conseguiram ao longo das 117 edições da competição. Somente quatro clubes ostentam essa série e o Corinthians pode se tornar o maior deles neste ano. Atual bicampeão estadual, o alvinegro tem a chance de alcançar os três títulos consecutivos pela quarta vez em sua história. Seria o primeiro time a obter essa marca. O Santos, assim como o Timão, tem três tricampeonatos. O extinto São Paulo Athletic e o antigo Palestra Itália (atual Palmeiras) são as outras duas equipes tricampeãs, com uma série cada. Além de se isolar nesse ranking, o Corinthians ainda poderá quebrar um jejum de 80 anos, pois o último tri da equipe alvinegra no Estadual foi em 1937-1938-1939. De lá para cá, o time foi bicampeão paulista três vezes: 1951-1952, 1982-1983 e 2017-2018, nesta última vez sob o comando de Fábio Carille, que está de volta ao clube com o sonho de ser tri. "É mais uma responsabilidade para carregar. Um bicampeonato com o mesmo técnico também fazia bastante tempo que não ocorria, acho que foi nos anos 50", disse o treinador corintiano. De fato, a última vez que um técnico corintiano conquistou o Estadual pelo clube duas vezes consecutivas foi há 67 anos, em 1951 e 1952, quando José Castelli, o Rato, faturou os canecos. Carille repetiu esse feito ao vencer o Estadual em 2017 e no ano passado, superando a Ponte Preta e o Palmeiras, respectivamente, em cada uma das duas decisões. A busca por esses recordes também foi determinante para o treinador resolver voltar ao clube nesta temporada. Pouco depois da conquista do Paulistão 2018, o treinador se transferiu para o Al-Wehda, da Arábia Saudita, onde ficou por sete meses até retornar em dezembro. Com o treinador novamente à frente do Corinthians, a confiança da Fiel também foi renovada e a torcida passou a acreditar mais na chance de o time faturar o Campeonato Paulista pela 30ª vez, isolando-se ainda mais como o maior vencedor da competição estadual. Dos quatro grandes clubes que vão disputar o Campeonato Paulista, o São Paulo é aquele que há mais tempo não consegue vencer a competição. A última conquista do clube tricolor aconteceu em 2005, há quase 14 anos. Por causa disso, a equipe do Morumbi sabe bem que a pressão para levantar o título estadual não será pequena. Diante desse quadro, os tricolores chegam ao torneio querendo implantar uma nova filosofia de jogo. O técnico André Jardine é adepto do estilo ofensivo, gosta que o time tenha posse de bola e proponha o jogo. Sem a pelota, a ideia é pressionar o rival para recuperá-la o quanto antes. O novo esquema é bem diferente do que pregava Diego Aguirre, que armava equipes mais fechadas e buscava contragolpes em velocidade. Jardine já tentou iniciar aquilo que pensa sobre futebol no final do ano passado, mas só neste início de ano está podendo ter um período maior de treinamento sem que tenha jogos pela frente. Nos testes feitos nas partidas da Florida Cup, campeonato amistoso disputado nos Estados Unidos, o clube acabou sendo derrotado em ambos. Perdeu para o Eintracht Frankfurt-ALE, na estreia, por 2 a 1, e depois para o Ajax-HOL, por 4 a 2. O resultado, contudo, não foi levado em consideração e o clube crê que tenha conseguido trazer aspectos positivos para a hora que a bola começar a rolar para valer. "O mais importante foi trabalhar a construção da equipe e consolidar algumas ideias. Pelo nível dos adversários, nós sabíamos que seriam jogos difíceis. Mas era exatamente isso que buscávamos para fortalecer a preparação da equipe", falou o comandante são-paulino.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL