NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 07 de Julho de 2020
ESPORTES
Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2019, 18h:13

JARDINE

Técnico quer vê Nenê e Hernanes

O meia-atacante iniciou a partida contra o Mirassol, que terminou com vitória por 4 a 1 do São Paulo na estreia no Paulista, porque Hernanes não foi regularizado a tempo. A princípio, na cabeça do técnico André Jardine, o camisa 10 será reserva do ídolo recém-contratado. No entanto, isso não quer dizer que ele esteja sem espaço. Pelo contrário, com sua atuação elogiada, o veterano, de 37 anos, pode até ser testado ao lado de Hernanes. Diante do Mirassol, Nenê foi muito bem. Escalado como um meia centralizado, sua posição preferida, distribuiu bons passes, deu assistências para os gols de Anderson Martins e Reinaldo e ainda ajudou na marcação, dando combate no meio-campo e levantando a torcida. Ficou em campo até o fim, mesmo com o placar elástico dando tranquilidade ao time no segundo tempo. "É uma boa oportunidade de elogiar o Nenê", disse Jardine. "É o tipo de dor de cabeça boa, um elenco forte. Jogadores de alto nível, os dois são. Cabe a mim encontrar um momento de tornar o São Paulo competitivo e encaixar os melhores jogadores, o que não é tão fácil." Segundo o treinador, a missão dele é usar o que tem de melhor no elenco a partir de agora. "Mas esse é o trabalho que eu vou ter a partir de agora. É pensar jogo a jogo e premiar quem está no melhor momento", falou. A estreia de Hernanes deve mandar Nenê para o banco na próxima do Tricolor, na quinta-feira, diante do Novorizontino. Apesar de poder jogar como segundo volante, Hernanes prefere atuar na mesma posição do camisa 10, mais adiantado e centralizado atrás do centroavante. Em jogos futuros, porém, ver os dois juntos no meio-campo tricolor é uma possibilidade real. COMEMORA O técnico André Jardine comemorou o fim do jejum do São Paulo em estreias do Campeonato Paulista após a vitória por 4 a 1 sobre o Mirassol, no sábado, no Pacaembu. Desde 2015 o Tricolor não começava o estadual ganhando, e o treinador afirmou que era importante acabar com essa marca incômoda em seu primeiro jogo competitivo à frente da equipe. "Pessoalmente, antes do jogo, eu pensava muito que seria importante começar vencendo, atendendo a expectativa. Não só para mim, mas era importante começar bem. Há três anos que não começava ganhando no Paulista, e o time estava engajado nisso. Falei na Flórida que o jogo de hoje era o que precisávamos vencer", disse Jardine. Apesar do placar elástico, o São Paulo teve algumas dificuldades no jogo, especialmente no primeiro tempo, antes de o Mirassol ficar com um jogador a menor graças à expulsão de Leandro Amaro. Os dois primeiros gols saíram na bola parada, e a equipe teve problemas na saída de bola. Jardine reconheceu os pontos negativos e disse que o time ainda está se conhecendo melhor. "A gente está em um processo de entrosamento, os jogadores estão se conhecendo. Então, volta e meia pode acontecer algum problema de comunicação. Com certeza, a tendência é ir diminuindo", avaliou, exaltando também a força das bolas paradas do São Paulo.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL