NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020
ILUSTRADO
Quinta-feira, 02 de Julho de 2020, 10h:25

CELEBRIDADES

Fernando Caruso afirma que não sente saudade de Temer nem vai sentir de Bolsonaro

O humorista, responsável pelas imitações do ex-presidente Michel Temer e do atual titular do cargo, Jair Bolsonaro, no humorístico Zorra (Globo), afirmou que não sentirá falta de nenhum dos dois governantes

Da Folhapress - São Paulo
Fernando Caruso

O humorista Fernando Caruso, 39, responsável pelas imitações do ex-presidente Michel Temer e do atual titular do cargo, Jair Bolsonaro, no humorístico Zorra (Globo), afirmou nesta quarta-feira (1º) que não sentirá falta de nenhum dos dois governantes.
"Era uma grande oportunidade fazer o Temer e continua sendo uma grande oportunidade fazer o Bolsonaro, mas não sinto saudade do Temer nem do Bolsonaro, que ainda está no cargo", afirmou. "Não vejo a hora de sentir saudade do Mourão", completou ele, se referindo a uma possível saída de Bolsonaro e posteriormente de seu vice, Antônio Mourão.
Caruso tem mantido sua caracterização de Bolsonaro mesmo durante a quarentena, fazendo os quadros de sua casa. Ele também já chegou a comentar à Folha de S.Paulo que a boa caracterização do personagem faz com que muitas pessoas demorassem a saber que era ele o humorista por trás da maquiagem.
O humorista, que já tem 20 anos de carreira, falou com jornalistas nesta quarta-feira sobre seu novo programa Cada Um No Seu Quadrado, que estreia na Globoplay na próxima sexta (3). Nele, as imitações não devem ter muito espaço, já que ele e Paulo Vieira, 23, comandarão jogos e bate-papo com famosos.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O Brasil já ultrapassou as 100 mil mortes pela Covid-19. Para você, quem tem culpa?
O presidente Jair Bolsonaro
Os governadores
Os prefeitos
Ninguém. A doença é incontrolável
PARCIAL