NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 19 de Setembro de 2020
ILUSTRADO
Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020, 00h:01

CELEBRIDADES

Julgamento de Johnny Depp traz à tona casos de baixaria e violência

Da Folhapress - São Paulo
Johnny Depp e Amber Heard

Nas últimas três semanas, a vida do casal formado pelo ator Johnny Depp, hoje com 57 anos, e pela atriz Amber Heard, de 34, foi exposta em detalhes sórdidos na Alta Corte de Londres.
O astro da série de filmes "Piratas do Caribe" processa a editora do jornal britânico The Sun e a News Group Newspapers depois que o tabloide o chamou de "espancador de mulher" em reportagem publicada há dois anos.
O jogo de acusações, além de trazer ao público histórias cada vez mais grotescas do casal, também está de alguma forma relacionado à grita do movimento feminista hollywoodiano MeToo –e põe em risco a carreira de ambos, que estão envolvidos em produções dos estúdios Warner.
O tabloide The Sun informa que pode sustentar as alegações presentes no artigo. Segundo a publicação, houve pelo menos 14 casos de abuso praticados por Depp contra Heard ao longo de três anos que culminaram em seu pedido de divórcio, em 2016.
Durante o curso do processo, a Justiça esmiuçou os episódios de violência pelos quais ambos se acusam mutuamente. Johnny Depp teve de se explicar extensivamente sobre o seu consumo de drogas e de álcool, e sua ex-mulher teve de se defender das acusações de ter traído o ex-marido com outros famosos.
Até o momento derradeiro do julgamento, no dia 28 de julho, eles levaram a público casos que chegaram a envolver a acusação de que Heard decepou parcialmente o dedo do ator e de que ela, ou uma amiga, havia defecado na cama do casal para encerrar o relacionamento deles.
A infidelidade na relação também veio à tona, com Depp acusando a ex-mulher de ter mantido encontros extraconjugais com famosos, como o chefe da Tesla, o sul-africano Elon Musk - ela negou diante da corte ter tido qualquer caso durante o casamento.
Ambos permaneceram fiéis à sua versão nos depoimentos e foram ao tribunal quase todos os dias do julgamento.
O casal se conheceu nas filmagens o longa "Diário de um Jornalista Bêbado", em 2011, e se casou em fevereiro de 2015, em Los Angeles. O divórcio se concretizou no início de 2017. Naquela época, a atriz falou em anos de violência física e psicológica, o que Johnny Depp sempre negou.
Durante o processo de divórcio, Heard concordou em retirar a denúncia de agressão contra o ex-marido, e Depp desembolsou US$ 7 milhões, quantia que a atriz destinou a várias instituições. O ator admitiu seu consumo abusivo de drogas e de álcool, mas acusou a atriz de violência.
No último dia 27, a advogada do Sun, Sasha Wass, descreveu à Justiça britânica excessos do ator, que ela disse ser "sujeito a mudanças irracionais de humor" quando bebe e consome drogas.
Nenhuma testemunha assistiu aos atos de agressão, ela afirmou, já que, por natureza, a violência conjugal ocorre "a portas fechadas". Amber Heard amava Johnny Depp, e o início de sua relação foi "idílico", acrescentou Wass.
Ao lembrar mensagens e emails nos quais Depp usava palavras como "prostituta" e "vagabunda" para se referir a Heard e a outras mulheres, a advogada afirmou que ele estava longe de ser o "cavalheiro do sul" como ele havia se apresentado perante a corte.
Também em depoimento no tribunal, o guarda-costas de Depp, Sean Bett, disse que houve várias vezes em que a atriz deixou ferimentos visíveis em seu empregador.
"Será que Johnny Depp pode estrelar como herói de outro filme familiar novamente? Duvido", disse Jeetendr Sehdev, especialista em celebridades, segundo a Reuters.
"As acusações de abuso de drogas e álcool são tão prejudiciais para ele quanto as de abuso doméstico. É uma situação só de perda para ele", acrescentou Sehdev.
Depp, no entanto, tem um exército de fãs usando hashtags em redes sociais em apoio ao ator que viveu o pirata Jack Sparrow, como #JusticeForJohnnyDepp, ou justiça para Johnny Depp, e #WeAreWithYouJohnnyDepp, ou estamos com você, Johnny Depp.
Há também os que não estão convencidos das acusações proferidas pela atriz e sustentam que ela está se aproveitando da onda do movimento MeToo.
O próximo grande filme de Depp é o terceiro da franquia "Animais Fantásticos", que está em pré-produção. "Aquaman 2", que Heard estrelaria, estava em desenvolvimento antes da pandemia do novo coronavírus que fechou estúdios de Hollywood em meados do mês de março. A Warner, que está por trás dos dois filmes, não respondeu a um pedido, feito pela Reuters, para comentar o futuro dos dois nos projetos.
O gerente de crises Matthew Hiltzik afirmou, segundo a agência de notícias, que Hollywood e o público têm coisas maiores com que se preocupar enquanto o mundo luta para voltar aos negócios.
"É realmente muito triste para todos os envolvidos. Espero que as pessoas contextualizem isso adequadamente à luz do sofrimento humano real que cerca a pandemia no momento", disse Hiltzik.


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Me  11-08-2020 08:06:51
Tantos podres e provas saíram contra essa mulher e a mídia br insiste em distorcer as notícias para plantar dúvidas na cabeça do leitor, o jornalismo realmente morreu. Visualizações são mais importantes do que a verdade. Podre.

Responder

5
2



ENQUETE
MT terá eleições simultâneas para vereador, prefeito e senador? Você já escolheu seus candidatos?
Sim
Não
Vou anular os votos
Nenhum dos candidatos presta
PARCIAL