NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 11 de Julho de 2020
ILUSTRADO
Quinta-feira, 03 de Novembro de 2016, 19h:19

TELEVISÃO

Sílvio Santos exibe 'A Usurpadora' pela 7ª vez

SBT segue faturando com o barato do brega e batendo recordes com novela mexicana que, na verdade, é réplica de novela venezuelana

ENOCK CAVALCANTI
Da Editoria
Viciado em novelas, o público brasileiro garante altas audiências às tramas ricamente produzidas da Rede Globo, mas também adora uma novela mexicana, de baixo orçamento mas com paixões à flor da pele. Tanto é que, por obra e graça do empresário Silvio Santos, a novela mexicana "A Usurpadora" vai bater um recorde, este mês, e será exibida novamente pelo SBT, de acordo com chamadas que já estão sendo veiculadas na emissora. A nova "temporada" começa na próxima segunda-feira, dia 7 de novembro, às 13h. Reexibição é mais um lance oportunista de Silvio, mestre na arte de faturar muito com pouco. No caso, ele até faz pouco caso da criatividade dos novelistas nacionais. Recorde-se que o SBT fatura por mais de 30 anos com a exibição do humorístico mexicano Chavez, repetido ad nauseam. Mais de 120 países já exibiram A Usurpadora, e no Brasil a primeira vez aconteceu em 1999, quando chegou a ameaçar os índices de audiência do Jornal Nacional, o noticiário algo novelesco da Rede Globo. Pode-se dizer que já são quase 20 anos de sucesso ininterrupto. O curioso é que A Usurpadora, na verdade, não é uma produção original. Trata-se de um remake de uma novela venezuelana de mesmo nome, produzida pela RCTV na década de 70. Os protagonistas, lá na terra do heroico Hugo Chavez, eram os atores Raúl Amundaray e Marina Baura (que fazia o papel das gêmeas). A versão original também foi um sucesso imenso em seu país de origem. Tão conhecida como A Usurpadora, no Brasil, é a música tema "Sonho Lindo", interpretada pelo brega roqueiro Paulo Ricardo De acordo com as agências internacionais, a atriz venezuelana Gaby Spanic, conhecida mundialmente como a interprete das duas gêmeas de A Usurpadora, recebeu com alegria a notícia de que o SBT irá reprisar a novela no Brasil. “Estou muito feliz em terem escolhido A Usurpadora para ser reprisada no Brasil. É a prova de que a história da novela ainda agrada o público deste país maravilhoso”, comentou Gaby. A primeira exibição de A Usurpadora, no Brasil, aconteceu em 1999.Gaby Spanic, que também é cantora, lançou recentemente a música “Donde Queira Que Vayas Yo Iré”, em parceria com o Alex Band do The Calling. A música já é sucesso nas redes sociais. Paulina e Paola foram um sucesso tão grande na vida de Gabriela Spanic que a atriz parecia condenada a viver o mesmo personagem para sempre, tanto que, em 2001, ela protagonizou a novela La Intrusa, onde assumia novamente a função de interpretar duas mulheres completamente diferentes, mas com a mesma aparência. A HISTÓRIA - A Usurpadora conta a história de Paulina e Paola, ambas interpretadas por Gabriela Spanic. Duas mulheres idênticas na aparência, mas com personalidade e padrão de vida completamente opostos. Paulina é uma moça pobre e honesta, que vive com a mãe numa pequena choupana no litoral e trabalha como arrumadeira num elegante clube da cidade. Paulina vive um drama pessoal com a doença da mãe, dona Paula, que está desenganada pelos médicos. Paola, por sua vez, é uma jovem senhora da alta sociedade. Mulher fria, calculista, aventureira e de muitos amantes. Apesar de ser casada com Carlos Daniel, Paola só pensa em encontrar uma maneira de se divertir longe do marido e da família. Um dia, o destino coloca frente a frente Paulina e Paola e, ao perceber a incrível semelhança que existe entre elas, Paola tem uma ideia para se livrar do marido sem que ele perceba: transformar Paulina em sua Usurpadora. Mas, a arrumadeira nega a proposta de Paola. Os Brachos vivem outro problema, a fábrica da família está numa situação muito difícil e seu futuro preocupa Carlos Daniel. A saúde de dona Paula se agrava e Paulina se desespera pois não tem dinheiro para comprar os remédios que sua mãe necessita. Paulina pede um empréstimo ao patrão, mas diante da negativa ela só tem uma saída: pedir ajuda a Paola. Aproveitando-se da fragilidade de Paulina, que vive uma depressão aguda pela morte da mãe e por uma decepção amorosa, Paola volta a insistir na troca de identidade. Paulina se nega terminantemente, mas é vítima da ambição de Paola que, para conseguir o que quer, é capaz de qualquer coisa, até de acusar alguém injustamente. Acusada de roubo, Paulina é obrigada a aceitar a troca para não ir para a cadeia. Paulina se culpa por estar enganando a família Bracho e por ter se submetido ao capricho de Paola. Para reparar seu erro, Paulina se dedica a cuidar bem da família Bracho. Apoia Carlos Daniel em tudo, ajuda a salvar a fábrica da falência, é muito amorosa com seus dois filhos e trata com carinho a Vovó Piedade, que se livra do vício em álcool. Apesar de não ter percebido a troca, Carlos Daniel sente que está mais apaixonado pela esposa. É que Paulina é mais doce, dedicada e compreensiva. Paulina também está apaixonada por Carlos Daniel, mas sabe que é um amor impossível. Um ano depois, cansada de suas aventuras, Paola decide voltar para ocupar novamente o seu lugar e Paulina é desmascarada.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você achou da decisão da Justiça de decretar lockdown em Cuiabá e VG?
Acertada
Demorou
Antes tarde...
Tanto faz
PARCIAL