Diario de Cuiabá

Segunda-feira, 03 de Outubro de 2016, 20h:24

Wilson Santos diz que 2º turno é uma nova eleição

Após ter confirmada sua participação no segundo turno da disputa a prefeito de Cuiabá, o candidato Wilson Santos (PSDB) acredita que a partir de agora começa uma nova eleição na qual terá mais oportunidades de apresentar suas propostas. “Vai começar agora a eleição, e é o estilo de disputa de que eu gosto. Mais à vontade, um contra um, olho a olho. Vamos discutir as ideias para Cuiabá, as soluções para Cuiabá, quem representa quem nesse processo, que tem a experiência para governar Cuiabá e quem tem parceiros para ajudar Cuiabá nas soluções de seus desafios”, afirmou. Inicialmente, Wilson Santos enfrentou uma alta taxa de rejeição dos eleitores cuiabanos, o que em determinado momento levou à descrença de que não conseguiria se viabilizar. O tucano atribuiu seu crescimento ao apoio do governador Pedro Taques (PSDB) e também à oportunidade de comunicar com a população seus projetos realizados à frente da prefeitura de Cuiabá em seus cinco anos de mandato. “Tive a oportunidade de mostrar que tenho trabalhos prestados. Isso não se apaga. Além disso, o governador Pedro Taques é um homem íntegro e dedicado com a administração pública que enriqueceu ainda mais nossas propostas. Cuiabá pode ter uma parceria inédita com o Estado que vai propiciar melhorias significativas em diversas áreas”. O resultado das eleições, na avaliação do candidato, comprova que a população está atenta, fazendo a comparação entre o perfil dos postulantes, e também entre propostas. “O eleitor está analisando o que o candidato fala, o que ele promete, e também o grupo que ele representa. Nós somos do grupo apoiado pelo prefeito Mauro Mendes e o governador Pedro Taques. É o grupo do bem. Do lado de lá está quem representa um grupo corrupto, com gente presa”, disse. Wilson demonstra confiança sobre o formato do segundo turno, considerando ser “uma nova eleição”. A roupagem do novo pleito deverá contar com reforço no grupo de apoiadores, com entrada de outros líderes, como o ex-senador Jaime Campos (DEM). O reforço também poderá vir da nacional tucana, com possibilidade de integração em ato na Capital do senador Aécio Neves (PSDB-MG), além de outros líderes. O segundo turno também deverá receber novos contornos, antecipou Wilson em relação ao formato das ações de campanha, com modificações no campo estratégico. Mas destaca que as mudanças não deverão se ater sobre o principal foco de sua campanha: a linha propositiva, que visa levar à população informações sobre as propostas contidas em seu Plano de Governo. (RC)

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br