Diario de Cuiabá

Terça-feira, 01 de Novembro de 2016, 20h:08

Ocupação X Educação

As ocupações de escolas públicas promovidas por estudantes já prejudicou a aplicação das provas do Enem

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

O prazo dado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para a desocupação das escolas, visando garantir a segurança da aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016, terminou na última segunda-feira (31.10). Porém, em Mato Grosso, o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), em Rondonópolis (250 quilômetros, ao Sul de Cuiabá), continua ocupado e a promessa é de que os estudantes deixem o prédio apenas nesta quinta-feira (03). O exame será realizado nos dias 5 e 6 de novembro, próximos sábado e domingo. No Estado, mais de 163 mil candidatos se inscreveram para prestar o Enem. Só em Cuiabá, 47.015 estudantes vão tentar uma vaga em uma instituição de ensino superior. Já Rondonópolis teve 14.007 inscritos e, em Várzea Grande, outros 15.755. Dos inscritos no Estado, 28,5% são brancos, 46.781 no total, 14,5%, ou seja, 23.865 disseram ser de raça negra e 52% e, 84.531 se declararam pardos. Dados do Inep apontam ainda que 94.709, 58% são mulheres e, 42%, o que corresponde a 68.472 são homens. Quanto à situação de pagamento, 92.834 (57% do total) conseguiram isenção da taxa, por serem de baixa renda. E ainda 28.400, ou seja, 17% por estudarem em escola pública e somente 26%, correspondente a 41.947 foram pagantes. Dos inscritos, 20%, ou seja, 32.623 vão concluir o ensino médio em 2016. E 24.413, correspondente a 15% concluir após 2016. 58% do total, 94.789 já concluiu o ensino médio e 7%, 11.356 não concluiu e não está cursando o ensino médio. O prédio do IFMT de Rondonópolis está ocupado desde o dia 21 de outubro passado. De acordo com a assessoria de imprensa do campus, os manifestantes se comprometerem em deixar o espaço na quinta-feira para que seja possível preparar o local para a realização do Enem. Porém, a promessa é de que retornem na segunda-feira. Contra a Medida Provisória 746, que estabelece mudanças no ensino médio, e contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita o aumento dos gastos públicos, alunos do IFMT também ocuparam temporariamente os campi localizados no Centro de Cuiabá, Confresa e Sinop. As ocupações ocorrem em diversos estados do país. Estudantes do ensino médio, superior e educação profissional têm feito ocupações de escolas, universidades, institutos federais e outros locais. Não há um balanço nacional oficial. Segundo a União Nacional dos Estudantes (UNE), até ontem, 134 campi universitários e mais de 1 mil escolas e institutos federais estavam ocupados. Ainda ontem à tarde, o Inep consolidaria uma lista final das unidades em que não serão aplicadas as provas em função das ocupações. Caso as ocupações sejam mantidas, o Inep definirá uma nova data de aplicação. Em anos anteriores, candidatos impedidos de fazer a prova por algum tipo de imprevisto prestaram o Enem na mesma data dos candidatos presos ou que cumprem medidas socioeducativas que, neste ano, será nos dais 6 e 7 de dezembro. Vale lembrar aos candidatos que os cartões de confirmação de inscrição com os endereços do local da prova estão disponíveis na internet, no site e também no aplicativo do Enem, nas plataformas Android, iOS e Windows Phone. Para acessá-los é preciso informar o CPF e a senha. A apresentação do Cartão de Confirmação nos dias de prova não é obrigatória, mas ele traz importantes informações como: número de inscrição, data, local e horário de realização das provas, opção de língua estrangeira, necessidade de atendimento especializado ou específico (quando houver) e indicação de solicitação de certificação do ensino médio (se for o caso). A recomendação é que os estudantes conheçam o caminho e, se possível, façam o trajeto até o local de prova antes do dia do exame para evitar atrasos no dia do Enem. Em caso de dúvidas, o participante pode ligar para o Inep no telefone 0800-616161.

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br