Diario de Cuiabá

Quinta-feira, 03 de Novembro de 2016, 19h:10

Atlético-MG e Grêmio fazem a final

O Grêmio soube se beneficiar da ampla vantagem conseguida no jogo de ida e o Atlético sofreu para empatar com o Inter

O Grêmio foi competente, soube se beneficiar da ampla vantagem conseguida no jogo de ida e garantiu vaga na decisão da Copa do Brasil na quarta-feira. Em casa, controlou o ímpeto do Cruzeiro, segurou o empate por 0 a 0 e terá a chance de conquistar seu primeiro título nacional de elite desde 2001, quando faturou justamente este torneio. Se foi confirmada nesta quarta-feira, a vaga gremista foi encaminhada na semana passada, no Mineirão, com o triunfo por 2 a 0. Desta vez, o time de Renato Gaúcho foi menos perigoso, atuou de forma inteligente e segurou um Cruzeiro que tentou ser calmo, chegou a ter mais posse de bola durante boa parte do confronto, mas criou poucas chances. Com a vaga, o Grêmio também pode se isolar como o maior campeão da Copa do Brasil em todos os tempos. Atualmente, possui quatro títulos (1989, 1994, 1997 e 2001), mesmo número do próprio Cruzeiro. Para alcançar este objetivo, no entanto, terá que derrotar na final o Atlético-MG, que eliminou nesta quarta o Internacional com o empate por 2 a 2 em casa - havia vencido por 2 a 1 no Beira-Rio. Apesar da necessidade cruzeirense de vencer, foi o Grêmio que começou atacando, abusando das jogadas pelas laterais e encurralando o adversário. Curiosamente, o Cruzeiro fazia o papel que era esperado dos donos da casa: esperava na defesa e se arriscava nos contra-ataques. Se o primeiro tempo foi movimentado mas sem grandes oportunidades, o segundo começou de forma alucinante. Quem chegou primeiro foi o Cruzeiro. Robinho aproveitou um raro espaço dado pela defesa gremista para arrancar e encontrar Alisson pela esquerda. O cruzeirense cortou para a direita e exigiu boa defesa de Grohe. Mas no lance seguinte, foi o Grêmio que quase abriu o placar. Pedro Rocha puxou contra-ataque, tocou para Luan e recebeu de volta na área. Com pouco espaço, colocou entre as pernas de Romero e só não marcou um golaço porque Rafael defendeu. Na cobrança de escanteio, Douglas bateu fechado e a bola tocou na trave. Depois deste início intenso, o cenário voltou a ser o mesmo da primeira etapa. O Cruzeiro tinha a posse, mas pouco criava. Mano, então, levou a campo Rafael Sóbis e Ábila, que até tentaram algo diferente, mas logo a frustração tomou conta do lado mineiro e o Grêmio assumiu o controle. Sem grandes sustos, os donos da casa trocaram passes e administraram o resultado com inteligência até o apito final. ATLÉTICO - De forma dramática, o Atlético Mineiro está na final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, contra um time misto do Internacional - mais preocupado com o risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro -, teve que suar bastante para conseguir um empate por 2 a 2, no estádio Independência, em Belo Horizonte, e levar a vaga por ter vencido por 2 a 1, na semana passada, em Porto Alegre. Em campo, o time misto do Internacional mostrou que pode incomodar os adversários. Com disposição e garra, não se intimidaram com o fato de jogarem com torcida contra. Após os primeiros minutos de pressão atleticana, a equipe gaúcha foi ao ataque e criou chances perigosas até conseguir abrir o placar aos 26 minutos. Valdívia acionou Anderson na área, que percebeu a movimentação de Aylon. O centroavante, livre, só teve o trabalho de deslocar Victor. Na busca por mais um gol, o Internacional seguiu no ataque e teve mais uma oportunidade com Valdívia. No lance seguinte, aos 31, o Atlético mandou uma bola na trave com Lucas Pratto e resolveu entrar no jogo. Começou a dominar mais o meio de campo e fez o gol de empate aos 45. Ceará errou no meio de campo e perdeu a bola. Luan a recuperou no chão e tocou para Pratto, que fez jogada individual até encontrar Robinho, que chutou cruzado e rasteiro no canto esquerdo de Danilo Fernandes. O empate era um alívio para o Atlético, mas o que ninguém esperava era uma falha de Victor. Aos 47, em uma recuada de Erazo, o goleiro ajeitou com muita força e a bola correu mais que o previsto. Anderson estava ligado no lance e a roubou, tocando para o gol vazio e colocando o Internacional novamente na frente. Com o duelo indo para a disputa por pênaltis, o clube gaúcho começou a segunda etapa um pouco mais cauteloso. Isso acabou sendo fatal, já que o Atlético resolveu imprimir uma pressão maior no ataque. Como consequência, o gol de empate dos mineiros, aos 15 minutos. Em boa jogada de Leandro Donizete, a bola chegou em Robinho na entrada da área. Com um toque de primeira por cima, ela foi para Pratto, dentro da área, que ajeitou e chutou por baixo de Danilo Fernandes. A partir daí, apenas o Atlético teve chances para marcar o terceiro gol. O goleiro colorado foi o responsável por evitar a vitória mineira. Do lado colorado, vontade não faltou nos últimos minutos, mas o cansaço bateu e a classificação não foi possível. Nesta sexta-feira, o departamento de competições da CBF fará o sorteio para os mandos de campo das finais entre Atlético-MG e Grêmio, que estão marcadas para os dias 23 e 30 deste mês.

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br