Diario de Cuiabá

Quinta-feira, 24 de Novembro de 2016, 21h:01

Confiança volta a cair em novembro

A pesquisa que mede a Confiança dos Empresários do Comércio (ICEC) feita pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) e divulgada ontem pela Fecomércio/MT, mostra queda mensal de 3,8 pontos em novembro. Em outubro, o indicador atingiu o nível mais alto no ano (108,5 pontos). A queda na reta final do ano ainda reflete a incerteza dos empresários de Cuiabá (MT) perante a crise econômica que assola o país, conforme avaliação de técnicos da entidade. Considerado os meses mais produtivos para o comércio, as datas comemorativas no período não estão sendo esperadas com muito otimismo por parte do empresariado. A Fecomércio/MT explica que a pesquisa varia entre 0 e 200 pontos e o índice 100 demarca a fronteira entre a avaliação de insatisfação ou da satisfação dos empresários do comércio. O subitem que mede as Condições Atuais das Empresas Comerciais (CAEC) apresentou queda em novembro (80,6 pontos), contra os 87,6 pontos de outubro. Outro subitem, o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) também apresentou queda nesse mês (154,2 pontos), contra 157 pontos do mês anterior. A empresária do segmento de ópticas, Marlene Silveira, espera um movimento muito fraco para o período, pelo fato do consumidor estar com a situação financeira apertada. “Nós sentimos a queda nas vendas no mês de novembro em relação ao mês passado. A situação dos servidores públicos também interfere nas vendas, pelo fato de o Estado apresentar um grande número de pessoas no funcionalismo público”, explicou. A última semana de novembro pode representar algum alívio para o empresariado, por conta da Black Friday. O presidente da União dos Lojistas de Shoppings Centers (Unishop), Junior Macagnan, espera que as vendas deste ano tenham um aumento de cerca de 5% em comparação com a mesma data de 2015. Em contrapartida, Marlene Silveira pontua que o lucro acaba sendo menor, pelos descontos oferecidos. Tal ânimo da empresária pode ser explicado pelo subitem da pesquisa que apresentou a variação mais negativa, Condições Atuais da Economia (CAE), com 50,2 pontos em novembro, queda de 11,5% em relação ao mês passado, quando o subitem atingiu 56,7 pontos. NACIONAL - O ICEC nacional apresentou alta em novembro, alcançando 98,9 pontos, aumento de 1,2% em relação a outubro e 23,5% na comparação anual. Se compararmos, a média na capital de Mato Grosso, apesar da queda de novembro, ainda está acima da média nacional e acima dos 100 pontos. A economista da CNC, Izis Ferreira, afirmou que “embora haja a percepção de que a crise econômica esteja lentamente perdendo a força, as condições do mercado de trabalho, o crédito caro e a restrição de renda das famílias, permanecem como um entrave à recuperação do comércio varejista. Por outro lado, a desaceleração da inflação influencia positivamente o comércio.

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br