Diario de Cuiabá

Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2019, 17h:40

Cuiabá Urgente 18-01-2019

Desgosto... Dono do MDB, o deputado federal reeleito Carlos Bezerra não esconde a decepção por não ter sido chamado pelo governador Mauro Mendes (DEM) para discutir o decreto de calamidade financeira. CB, dizem, é um poço de mágoas. ...e desgaste Embora tenha apoiado a eleição de MM, o MDB, segundo uma fonte da coluna, é visto como uma legenda desgastada. Para piorar, recentemente, o deputado sugeriu que a crise em MT não comportaria o decreto de calamidade. 4º escalão CB bem que tentou emplacar apaniguados em posições estratégicas do Governo do DEM. Por último, ele mal conseguiu a nomeação de Bento Francisco Gomes Bezerra, um parente bem distante, para chefiar o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem). Proposta Wilson Santos (PSDB) propõe um acordo de cooperação, no sentido de que os poderes deixem de receber, momentaneamente, o repasse constitucional mensal (duodécimo), até que se regularize o salário do servidor do Executivo. Barreira A “moratória” – como WS definiu o acordo – envolveria diretamente a AL, o TJ, o MPE e o TCE. Essas instituições não estão com salário atrasado. O duro será convencer os chefes dos poderes a abrirem mão dos repasses... Supersalários A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), antigo Cepromat, faz sucesso lá fora. O site O Antagonista cita o órgão, em vias de ser extinto, com uma espécie de “poço sem fundo”, em função dos supersalários. Fartura Segundo o site, chama a atenção o fato de que 75 servidores da empresa pública ganhavam mais de R$ 20 mil por mês, no ano passado. Além do salário, eles recebem comissões, verbas e outros benefícios, como auxílio-creche. Fethab A turma do agronegócio em Mato Grosso anda em polvorosa. O projeto do novo Fethab está “voando” na Assembleia Legislativa, como foi enviado pelo Palácio Paiaguás. Os produtores querem mudanças. Ou seja, uma mordida menor. Batalhas Para convencer o Paiaguás, o discurso dos produtores, nas últimas horas, é de que o governador Mauro Mendes anda abrindo muitas batalhas ao mesmo tempo. E, obviamente, precisa de aliados para enfrentá-las. Problema No fundo, os produtores rurais acenam com apoio a Mauro para, na visão deles, o governador enfrentar o grande problema do Governo do Estado, na atualidade: o gasto com a folha de pagamento dos servidores públicos. ............... Lapada!Lapada! Âncora do programa jornalístico “Resumo do Dia”, da TV Brasil Oeste, o ex-prefeito de Cuiabá, Roberto França, saiu em defesa dos servidores públicos estaduais, segundo ele, penalizados em meio à crise financeira. RF lembrou que o novo Governo não quer pagar RGA e ainda propõe aumentar a contribuição previdenciária. Para ele, “até parece que o servidor do Estado é o culpado pela calamidade financeira de Mato Grosso...” ................ De casa Por meio da assessoria, o senador eleito Jayme Campos (DEM) garante que seu apoio, na eleição para a presidência do Senado, é para o colega Davi Alcolumbre (DEM-AP). Diz que, há tempos, trabalha isso junto à cúpula demista. Renan No começo de janeiro, em entrevista ao site O Antagonista, JC disse que foi procurado por Renan Calheiros (AL), candidato do MDB. Considerou a candidatura “legítima”, elogiou Renan, mas não sinalizou nenhum apoio. Voto aberto Nas redes sociais, a senadora eleita Selma Arruda (PSL) defendeu o voto aberto na eleição do Senado. “Mais uma vez, o STF erra e joga contra os interesses da população. Voto de agente público eleito pelo povo deve ser aberto”, disse. Lá e cá Enquanto Mauro faz das tripas coração pagar quitar folha e 13º no Estado, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) festeja um aumento de 4% para os servidores da Educação, em Cuiabá. EP sancionou a lei ontem. Na cola Levantamento do jornal Estadão aponta que Mato Grosso, Roraima e Rio Grande do Norte decretaram estado de calamidade financeira. Rio, Rio Grande do Sul e Minas fizeram o mesmo em 2016. O próximo da fila deve ser o vizinho Goiás. Inteligência Com experiência no combate ao crime organizado, pela sua atuação no Gaeco, o delegado Wylton Massao Ohara foi oficializado para o cargo de secretário adjunto de Inteligência, da Secretaria de Estado de Segurança Pública. Novatos O futuro deputado Ulysses Moraes (DC) articula, com os colegas Delegado Claudinei e Sílvio Fávero, ambos do PSL, uma chapa com os 14 novatos, para fazer frente a Eduardo Botelho (DEM), na disputa pela presidência da Assembleia.

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br