Diario de Cuiabá

Quinta-feira, 30 de Julho de 2020, 12h:53

PM avisou que iria fazer "algo errado", antes de ser morto

Em áudio, Oacy Taques, que era do 3º BPM, avisou a um amigo que não podia voltar atrás

TÉO GOMES
Da Reportagem

Dois fatos estão chamando a atenção no contexto da morte de seis bandidos, durante confronto com policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), grupo de elite da Polícia Militar, na madrugada de quarta-feira (29), em Cuiabá.

O primeiro é que o soldado PM Oacy Taques, que tinha 30 anos, avisou a um amigo que iria "fazer algo de errado", antes de confronto com os militares.

O segundo é que familiares de outro morto, Jhon Dewid Bonifácio de Lima, o "Dimmy", que tinha 22 anos, não tem condições de fazer o seu sepultamento e apelou para uma "vaquinha".

Oacy Taques sabia, conforme um áudio que circula em grupos policiais, que no dia seguinte faria algo de errado, mas não revelou o quê.

Disse que, se desse certo, ele mudaria de vida e que não precisaria fazer mais nada de errado.

No áudio, ele declara seu amor por uma mulher, mãe de um filho dele.

Confira a transcrição ao áudio:

..., eu tenho um negócio muito sério para te contar, entendeu?! Eu vou confiar em você, o que eu vou falar pra você agora ninguém sabe, entendeu?! Eu estou indo em uma situação, uma situação que não tenho como voltar atrás mais, não vai acontecer nada comigo, mas se acontecer A..., se acontecer, deixa esse áudio gravado aqui, entendeu?! Eu quero que você fala pra (mãe do filho)' que eu amo muito ela, amo muito o meu filho do fundo do meu coração, fala pra ela me perdoar se eu magoei ela com alguma coisa.

É óbvio que eu magoei, porque as mágoas que eu tinha dela já passaram já! Eu tô indo numa missão amanhã aí e não tem como eu sair dessa. Entendeu?!

Vou ter que ir, vou ter que ir. Mas, se der certo vai ser bom que nunca mais eu vou precisar fazer nada errado na minha vida, só isso, tá bom?! Tamo junto! Sei que você gosta e não apoia coisa errada, mas fazer o quê?!"

No caso de Jhon de Lima, o "Dimmy",  a família fez campanha para pagar o velório e o enterro.

A família conseguiu algumas doações depois de publicar a campanha em rede social.

Em razão da carência de recursos financeiros, o sepultamento só deve acontecer na tarde desta quinta-feira (30).

Dimmy não respondia a processos, segundo informações do Tribunal de Justiça.

Os outros quatro mortos foram identificados como Gabriel de Paula Bueno, de 20 anos; André Felippe de Oliveira silva, de 24; Willian Dhiego Ribeiro Moraes, de 37; Leonardo Vinícius Pereira de Moraes, 24, filho de um sargento da PM.

Os seis foram mortos por volta das 5 horas de quarta-feira (29).

Eles iriam fazer um "arrastão" no Condomínio Belvedere, uma área de luxo, na região do bairro Itamaraty, onde ocorreu o confronto com o Bope.

Dentro dos dois carros usados pelo bando - um Fiat Uno e um Corolla blindado -, os policiais apreenderam muita munição, três pistolas automáticas, três revólveres calibre 38 e rádios comunicadores ligados na frequência da Polícia Militar.

Leia mais sobre o assunto:

Polícia identifica os seis mortos em tiroteio com o Bope em Cuiabá


Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br