Diario de Cuiabá

Quinta-feira, 30 de Julho de 2020, 16h:00

Polícia quer saber quem colocou bala na pistola que matou Isabelle

O tiro disparado, segundo a perícia, entrou entrou no nariz, atravessou a cabeça e saiu na nuca da garota

TÉO GOMES
Da Reportagem

A cada dia, a cada testemunha e a cada passo das investigações da equipe do delegado Wagner Bassi, da Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), surge um novo "mistério" em torno da morte da estudante Isabelle Guimarães Ramos, de 14 anos.

Agora, a questão levantada pela Polícia é: quem carregou a pistola calibre 380 que matou a adolescente no último dia 12, no Condomínio Alphaville, no bairro Jardim Itália, em Cuiabá?

O tiro disparado da arma, segundo a perícia, entrou entrou no nariz, atravessou a cabeça e saiu na nuca de Isabelle.

O adolescente que levou a arma para dentro da mansão garantiu que estava sem bala.

A declaração está no depoimento do menor de 16 anos, filho de um empresário que levou a arma para dentro da casa, no Alphaville.

A outra descoberta da Polícia é que, na casa da amiga de Isabelle, também de 14 anos, apontada como autora do tiro, até agora investigado como acidental, não estavam só as duas garotas.

Além de Isabelle, a amiga e os pais desta, segundo as informações, estavam alguns rapazes amigos da família, todos (ou quase todos) adolescentes.

Lá estava também, quase o dia todo e à noite, o namorado da acusada, um jovem de 16 anos, cujo pai deu a arma para que ela fosse levada para a casa da namorada.

A família da acusada diz que iria comprar a arma. Já o adolescente e o pai dele negaram a versão de compra e afirmaram, em depoimento, que o rapaz levou a arma para o empresário Marcelo Cestari, de 46 anos, limpar.

Os delegados e investigadores da DEA também estão analisando o fato de bala que matou a menor ter sido disparada frontalmente no rosto.

Laudo da Perícia Oficial do Estado (Politec) confirma que o tiro foi a curta distância, a pelo menos 40 centímetros do rosto de Isabelle, tanto que deixou vestígios de pólvora para comprovar a curta distância.

O delegado Bassi trata o caso em sigilo, mas a reportagem teve acesso ao laudo através de uma fonte.

O CASO - Isabelle foi morta por volta das 22h30, no dia 12 deste mês, dentro da suíte da mansão da casa da amiga dela, no Condomínio Alphaville, em Cuiabá.

A estudante, segundo fato confirmado pela perícia, levou um tiro de pistola calibre 380.

A bala entrou no nariz e atravessou a cabeça, saiu na nuca, matando a estudante na hora.

Leia mais sobre o assunto:

Namorado diz que a pistola que matou Isabelle estava sem munição


Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: diariodecuiaba.com.br